Barra Cofina

Correio da Manhã

Multimédia
6
Sátira. O cortejo em Torres, que privilegia a sátira (na foto, Pinto da Costa), custa este ano 450 mil euros, é o segundo mais caro, atrás de Ovar
Emagrecimento. Em Sesimbra, o Carnaval de 2011 tinha custado 150 mil euros. Este ano, a brincadeira custa 80 mil. Na foto, Bigodes de Rato ensaiam na marginal
Enchente. A Torres costumam ir 40 mil pessoas. Este ano, a questão da tolerância de ponto fez o presidente da autarquia dizer: “O Carnaval sai na terça nem que chovam picaretas”
Sesimbra. Ensaio do grupo Bigodes de Rato
Negócio. A Câmara de Torres adjudica a concepção dos carros alegóricos a duas empresas locais
Sesimbra. O desfile nesta vila costuma juntar 1500 elementos que privilegiam a sátira, mas que se distinguem, sobretudo, pelo samba. Na foto, o grupo Tripa Cagueira
Torres Vedras. A tradição começou em 1923 com a recepção ao Rei, que chegou de comboio e percorreu as ruas da vila em cortejo. Torres orgulha-se de ter a primeira real confraria do carnaval. Na foto, o alvo de 2012 – Pedro Passos Coelho
Presidente. Em Torres, Cavaco Silva também tem boneco
Ninguém leva a mal
Sátira. O cortejo em Torres, que privilegia a sátira (na foto, Pinto da Costa), custa este ano 450 mil euros, é o segundo mais caro, atrás de Ovar
Emagrecimento. Em Sesimbra, o Carnaval de 2011 tinha custado 150 mil euros. Este ano, a brincadeira custa 80 mil. Na foto, Bigodes de Rato ensaiam na marginal
Enchente. A Torres costumam ir 40 mil pessoas. Este ano, a questão da tolerância de ponto fez o presidente da autarquia dizer: “O Carnaval sai na terça nem que chovam picaretas”
Sesimbra. Ensaio do grupo Bigodes de Rato
Negócio. A Câmara de Torres adjudica a concepção dos carros alegóricos a duas empresas locais
Sesimbra. O desfile nesta vila costuma juntar 1500 elementos que privilegiam a sátira, mas que se distinguem, sobretudo, pelo samba. Na foto, o grupo Tripa Cagueira
Torres Vedras. A tradição começou em 1923 com a recepção ao Rei, que chegou de comboio e percorreu as ruas da vila em cortejo. Torres orgulha-se de ter a primeira real confraria do carnaval. Na foto, o alvo de 2012 – Pedro Passos Coelho
Presidente. Em Torres, Cavaco Silva também tem boneco
Ninguém leva a mal
Sátira. O cortejo em Torres, que privilegia a sátira (na foto, Pinto da Costa), custa este ano 450 mil euros, é o segundo mais caro, atrás de Ovar
Emagrecimento. Em Sesimbra, o Carnaval de 2011 tinha custado 150 mil euros. Este ano, a brincadeira custa 80 mil. Na foto, Bigodes de Rato ensaiam na marginal
Enchente. A Torres costumam ir 40 mil pessoas. Este ano, a questão da tolerância de ponto fez o presidente da autarquia dizer: “O Carnaval sai na terça nem que chovam picaretas”
Sesimbra. Ensaio do grupo Bigodes de Rato
Negócio. A Câmara de Torres adjudica a concepção dos carros alegóricos a duas empresas locais
Sesimbra. O desfile nesta vila costuma juntar 1500 elementos que privilegiam a sátira, mas que se distinguem, sobretudo, pelo samba. Na foto, o grupo Tripa Cagueira
Torres Vedras. A tradição começou em 1923 com a recepção ao Rei, que chegou de comboio e percorreu as ruas da vila em cortejo. Torres orgulha-se de ter a primeira real confraria do carnaval. Na foto, o alvo de 2012 – Pedro Passos Coelho
Presidente. Em Torres, Cavaco Silva também tem boneco
Ninguém leva a mal

Ninguém leva a mal

Os preparativos em Torres Vedras e Sesimbra, onde a festa é hoje rija. O tempo é de Carnaval, para mandar vir com aqueles que nos incomodam e que nos fazem arreganhar o cenho neste ano de grande quaresma.

19 de Fevereiro de 2012 às 00:00

Mais vistos