Barra Cofina

Correio da Manhã

Multimédia
4
Tal como o também benfiquista Nélson Oliveira, eleito melhor avançado do campeonato, Mika recebeu a Luva de Ouro atribuída ao melhor guarda-redes
Nélson Oliveira consumou a reviravolta portuguesa numa jogada individual em que correu mais do que a defesa e rematou de ângulo improvável para fazer o 2-1
Avançado brasileiro Henrique teve uma feroz vigilância por perto da defesa portuguesa em geral e de Mário Rui em particular
Nélson Oliveira comemorou de forma efusiva o seu quarto na Colômbia, o qual contribuiu para que fosse eleito o melhor avançado do Mundial de sub-20
Entrado nos últimos minutos da final, o extremo Caetano, que desperdiçou uma excelente oportunidade, foi um dos mais inconsoláveis no momento da derrota
Alegria do extremo madeirense formado nas escolas do FC Porto contagiou o resto da equipa
Empate ao intervalo não afectou o entusiasmo de três espectadores que fizeram uma homenagem às cores da bandeira colombiana
Lesão do lateral-direito Cédric Soares, que não recuperou de um choque com Philippe Coutinho, foi um golpe muito duro para Portugal
Jogo começou praticamente com o golo do Brasil, que foi atribuído a Óscar embora o seu livre tenha sido desviado para as redes pelo português Sérgio Oliveira
Ilídio Vale fez entrar Júlio Alves e desviou Pelé para lateral-direito, tendo este sofrido muito com o recém-entrado Dudu
No final do prolongamento a alegria brasileira contrastava com a desilusão portuguesa
O polivalente Danilo, reforço de FC Porto para Janeiro, voltou a integrar o onze titular do Brasil
Brasileiro Óscar foi um verdadeiro pesadelo para Portugal, sendo-lhe atribuídos os três golos dos sul-americanos
Portugal não sofreu muito tempo, visto que o extremo Alex aproveitou o cruzamento de Nélson Oliveira e repôs a igualdade
Terceiro golo do Brasil, num centro-remate de Óscar, foi um balde de água gelada
Ao contrário do que sucedeu na final lusófona de 1991, disputada no Estádio da Luz, desta vez foi o Brasil a somar mais um título de sub-20
Gabriel, o guarda-redes brasileiro, foi extremamente mal batido no segundo golo de Portugal
Para os muitos adeptos do Brasil presentes nas bancadas foi o melhor início possível
Foi precisamente desse lado que nasceu o golo do empate, com Óscar a reencaminhar a bola que o guarda-redes Mika defendeu para a frente
Apesar do cansaço de jogadores como Nélson Oliveira ou Sérgio Oliveira, o seleccionador português manteve-os em campo para a prolongamento
Tal como o também benfiquista Nélson Oliveira, eleito melhor avançado do campeonato, Mika recebeu a Luva de Ouro atribuída ao melhor guarda-redes
Nélson Oliveira consumou a reviravolta portuguesa numa jogada individual em que correu mais do que a defesa e rematou de ângulo improvável para fazer o 2-1
Avançado brasileiro Henrique teve uma feroz vigilância por perto da defesa portuguesa em geral e de Mário Rui em particular
Nélson Oliveira comemorou de forma efusiva o seu quarto na Colômbia, o qual contribuiu para que fosse eleito o melhor avançado do Mundial de sub-20
Entrado nos últimos minutos da final, o extremo Caetano, que desperdiçou uma excelente oportunidade, foi um dos mais inconsoláveis no momento da derrota
Alegria do extremo madeirense formado nas escolas do FC Porto contagiou o resto da equipa
Empate ao intervalo não afectou o entusiasmo de três espectadores que fizeram uma homenagem às cores da bandeira colombiana
Lesão do lateral-direito Cédric Soares, que não recuperou de um choque com Philippe Coutinho, foi um golpe muito duro para Portugal
Jogo começou praticamente com o golo do Brasil, que foi atribuído a Óscar embora o seu livre tenha sido desviado para as redes pelo português Sérgio Oliveira
Ilídio Vale fez entrar Júlio Alves e desviou Pelé para lateral-direito, tendo este sofrido muito com o recém-entrado Dudu
No final do prolongamento a alegria brasileira contrastava com a desilusão portuguesa
O polivalente Danilo, reforço de FC Porto para Janeiro, voltou a integrar o onze titular do Brasil
Brasileiro Óscar foi um verdadeiro pesadelo para Portugal, sendo-lhe atribuídos os três golos dos sul-americanos
Portugal não sofreu muito tempo, visto que o extremo Alex aproveitou o cruzamento de Nélson Oliveira e repôs a igualdade
Terceiro golo do Brasil, num centro-remate de Óscar, foi um balde de água gelada
Ao contrário do que sucedeu na final lusófona de 1991, disputada no Estádio da Luz, desta vez foi o Brasil a somar mais um título de sub-20
Gabriel, o guarda-redes brasileiro, foi extremamente mal batido no segundo golo de Portugal
Para os muitos adeptos do Brasil presentes nas bancadas foi o melhor início possível
Foi precisamente desse lado que nasceu o golo do empate, com Óscar a reencaminhar a bola que o guarda-redes Mika defendeu para a frente
Apesar do cansaço de jogadores como Nélson Oliveira ou Sérgio Oliveira, o seleccionador português manteve-os em campo para a prolongamento
Tal como o também benfiquista Nélson Oliveira, eleito melhor avançado do campeonato, Mika recebeu a Luva de Ouro atribuída ao melhor guarda-redes
Nélson Oliveira consumou a reviravolta portuguesa numa jogada individual em que correu mais do que a defesa e rematou de ângulo improvável para fazer o 2-1
Avançado brasileiro Henrique teve uma feroz vigilância por perto da defesa portuguesa em geral e de Mário Rui em particular
Nélson Oliveira comemorou de forma efusiva o seu quarto na Colômbia, o qual contribuiu para que fosse eleito o melhor avançado do Mundial de sub-20
Entrado nos últimos minutos da final, o extremo Caetano, que desperdiçou uma excelente oportunidade, foi um dos mais inconsoláveis no momento da derrota
Alegria do extremo madeirense formado nas escolas do FC Porto contagiou o resto da equipa
Empate ao intervalo não afectou o entusiasmo de três espectadores que fizeram uma homenagem às cores da bandeira colombiana
Lesão do lateral-direito Cédric Soares, que não recuperou de um choque com Philippe Coutinho, foi um golpe muito duro para Portugal
Jogo começou praticamente com o golo do Brasil, que foi atribuído a Óscar embora o seu livre tenha sido desviado para as redes pelo português Sérgio Oliveira
Ilídio Vale fez entrar Júlio Alves e desviou Pelé para lateral-direito, tendo este sofrido muito com o recém-entrado Dudu
No final do prolongamento a alegria brasileira contrastava com a desilusão portuguesa
O polivalente Danilo, reforço de FC Porto para Janeiro, voltou a integrar o onze titular do Brasil
Brasileiro Óscar foi um verdadeiro pesadelo para Portugal, sendo-lhe atribuídos os três golos dos sul-americanos
Portugal não sofreu muito tempo, visto que o extremo Alex aproveitou o cruzamento de Nélson Oliveira e repôs a igualdade
Terceiro golo do Brasil, num centro-remate de Óscar, foi um balde de água gelada
Ao contrário do que sucedeu na final lusófona de 1991, disputada no Estádio da Luz, desta vez foi o Brasil a somar mais um título de sub-20
Gabriel, o guarda-redes brasileiro, foi extremamente mal batido no segundo golo de Portugal
Para os muitos adeptos do Brasil presentes nas bancadas foi o melhor início possível
Foi precisamente desse lado que nasceu o golo do empate, com Óscar a reencaminhar a bola que o guarda-redes Mika defendeu para a frente
Apesar do cansaço de jogadores como Nélson Oliveira ou Sérgio Oliveira, o seleccionador português manteve-os em campo para a prolongamento

Portugal perde título mundial de sub-20 no prolongamento

Depois de ter estado a vencer quase até ao fim do tempo regulamentar, a selecção de Portugal permitiu que o Brasil fizesse o 2-2. No prolongamento de uma final do Mundial de Sub-20 em que muitos futebolistas acabaram esgotados, o terceiro golo de Oscar levou a que fossem os brasileiros a festejar em Bogotá, na Colômbia.

21 de Agosto de 2011 às 04:57