Barra Cofina

Correio da Manhã

Multimédia
6
O evento foi, em 1845, uma homenagem da Família Real aos fragateiros, arrais, bordas d’Água e a todas as gentes ligadas à faina do Tejo e dos campos do rio que ajudaram na resistência e combate às invasões do Século XIX
Na Praia  de Pedrouços, no Forte  do Bom Sucesso e no rio  Tejo, os interessados podem assistir à partida. A regata  também é para quem vê  de fora
Faluas, catraios e ‘embarcações em passeio’ foram os barcos participantes da real regata. Cada um tinha de partir à hora combinada e não furar o tempo
O evento foi, em 1845, uma homenagem da Família Real aos fragateiros, arrais, bordas d’Água e a todas as gentes ligadas à faina do Tejo e dos campos do rio que ajudaram na resistência e combate às invasões do Século XIX
Esta, a de 2 de outubro de 2011, foi a sexta real regata de canoas do século XXI
As primeiras embarcações a chegar à meta demoram duas horas. Os vencedores recebem um prémio e os restantes lembranças de participação
Esta regata realizou-se pela primeira vez em 1845 e ainda segue o mesmo regulamento de então
O ‘Senhor dos Aflitos’ era um dos participantes na regata. Será que os nomes contam histórias? O que dizer então do  ‘Salvaram-me’ e do ‘Liberdade’?
Regata à moda real
O evento foi, em 1845, uma homenagem da Família Real aos fragateiros, arrais, bordas d’Água e a todas as gentes ligadas à faina do Tejo e dos campos do rio que ajudaram na resistência e combate às invasões do Século XIX
Na Praia  de Pedrouços, no Forte  do Bom Sucesso e no rio  Tejo, os interessados podem assistir à partida. A regata  também é para quem vê  de fora
Faluas, catraios e ‘embarcações em passeio’ foram os barcos participantes da real regata. Cada um tinha de partir à hora combinada e não furar o tempo
O evento foi, em 1845, uma homenagem da Família Real aos fragateiros, arrais, bordas d’Água e a todas as gentes ligadas à faina do Tejo e dos campos do rio que ajudaram na resistência e combate às invasões do Século XIX
Esta, a de 2 de outubro de 2011, foi a sexta real regata de canoas do século XXI
As primeiras embarcações a chegar à meta demoram duas horas. Os vencedores recebem um prémio e os restantes lembranças de participação
Esta regata realizou-se pela primeira vez em 1845 e ainda segue o mesmo regulamento de então
O ‘Senhor dos Aflitos’ era um dos participantes na regata. Será que os nomes contam histórias? O que dizer então do  ‘Salvaram-me’ e do ‘Liberdade’?
Regata à moda real
O evento foi, em 1845, uma homenagem da Família Real aos fragateiros, arrais, bordas d’Água e a todas as gentes ligadas à faina do Tejo e dos campos do rio que ajudaram na resistência e combate às invasões do Século XIX
Na Praia  de Pedrouços, no Forte  do Bom Sucesso e no rio  Tejo, os interessados podem assistir à partida. A regata  também é para quem vê  de fora
Faluas, catraios e ‘embarcações em passeio’ foram os barcos participantes da real regata. Cada um tinha de partir à hora combinada e não furar o tempo
O evento foi, em 1845, uma homenagem da Família Real aos fragateiros, arrais, bordas d’Água e a todas as gentes ligadas à faina do Tejo e dos campos do rio que ajudaram na resistência e combate às invasões do Século XIX
Esta, a de 2 de outubro de 2011, foi a sexta real regata de canoas do século XXI
As primeiras embarcações a chegar à meta demoram duas horas. Os vencedores recebem um prémio e os restantes lembranças de participação
Esta regata realizou-se pela primeira vez em 1845 e ainda segue o mesmo regulamento de então
O ‘Senhor dos Aflitos’ era um dos participantes na regata. Será que os nomes contam histórias? O que dizer então do  ‘Salvaram-me’ e do ‘Liberdade’?
Regata à moda real

Regata à moda real

Foram 44 as embarcações que percorreram o Tejo, de Pedrouços ao Montijo, numa reconstituição histórica das regatas que se realizavam no tempo da monarquia. Foi a sexta real regata do séc. XXI.

9 de Outubro de 2011 às 00:00