Barra Cofina

Correio da Manhã

Multimédia
7
Fernando Alexandre (ao centro) deixou o Governo a seu pedido, a 22 de abril
A 16 de novembro do ano passado, Miguel Macedo (em frente a Cavaco Silva) anunciou a demissão por considerar que a sua autoridade enquanto governante tinha ficado diminuída com o envolvimento de pessoas próximas nas investigações da Operação Labirinto
A 10.ª alteração no Governo aconteceu a 21 de outubro do ano passado, com a tomada de posse de Fernando Egídio Reis (à esquerda) como secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, em substituição de João Grancho (à direita)
Em setembro de 2014, o Executivo perdeu outros dois elementos - os secretários de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, e das Florestas, Francisco Gomes da Silva - que não foram substituídos, o que fez diminuir o número de secretarias de Estado de 41 para 39
Em abril de 2013 realizou-se a quarta alteração ao executivo e a primeira remodelação ministerial, com a saída do ministro adjunto do primeiro-ministro, Miguel Relvas, substituído por dois ministros: Luís Marques Guedes e Miguel Poiares Maduro
A sexta alteração à composição do Governo aconteceu no início de junho de 2013, provocada pela demissão de Vítor Gaspar do cargo de ministro de Estado e das Finanças, que foi substituído por Maria Luís Albuquerque
A sétima e maior remodelação do Governo foi concretizada no final de julho: Paulo Portas tomou posse como vice-primeiro-ministro, sendo substituído por Rui Machete nas funções de ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros
O chefe do executivo retirou Álvaro Santos Pereira (à esquerda) de ministro da Economia, substituindo-o por António Pires de Lima (à direita)
Jorge Moreira da Silva ficou à frente de uma nova pasta do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia
A ministra Assunção Cristas perdeu a tutela do Ordenamento do Território e do Ambiente, ficando apenas ministra da Agricultura e do Mar
Pedro Mota Soares, ministro da Solidariedade e Segurança Social, ficou responsável pelo Emprego, até então integrado na Economia
Em setembro de 2013, concretizou-se a oitava alteração no Governo: a mudança de um secretário de Estado, em setembro, na sequência da demissão de Joaquim Pais Jorge, que foi substituído na pasta do Tesouro por Isabel Castelo Branco (na foto)
A 30 de dezembro de 2013 foram substituídos os secretários de Estado da Administração Pública, da Administração Interna, e da Administração Patrimonial e Equipamentos do Ministério da Justiça
Fernando Alexandre (ao centro) deixou o Governo a seu pedido, a 22 de abril
A 16 de novembro do ano passado, Miguel Macedo (em frente a Cavaco Silva) anunciou a demissão por considerar que a sua autoridade enquanto governante tinha ficado diminuída com o envolvimento de pessoas próximas nas investigações da Operação Labirinto
A 10.ª alteração no Governo aconteceu a 21 de outubro do ano passado, com a tomada de posse de Fernando Egídio Reis (à esquerda) como secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, em substituição de João Grancho (à direita)
Em setembro de 2014, o Executivo perdeu outros dois elementos - os secretários de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, e das Florestas, Francisco Gomes da Silva - que não foram substituídos, o que fez diminuir o número de secretarias de Estado de 41 para 39
Em abril de 2013 realizou-se a quarta alteração ao executivo e a primeira remodelação ministerial, com a saída do ministro adjunto do primeiro-ministro, Miguel Relvas, substituído por dois ministros: Luís Marques Guedes e Miguel Poiares Maduro
A sexta alteração à composição do Governo aconteceu no início de junho de 2013, provocada pela demissão de Vítor Gaspar do cargo de ministro de Estado e das Finanças, que foi substituído por Maria Luís Albuquerque
A sétima e maior remodelação do Governo foi concretizada no final de julho: Paulo Portas tomou posse como vice-primeiro-ministro, sendo substituído por Rui Machete nas funções de ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros
O chefe do executivo retirou Álvaro Santos Pereira (à esquerda) de ministro da Economia, substituindo-o por António Pires de Lima (à direita)
Jorge Moreira da Silva ficou à frente de uma nova pasta do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia
A ministra Assunção Cristas perdeu a tutela do Ordenamento do Território e do Ambiente, ficando apenas ministra da Agricultura e do Mar
Pedro Mota Soares, ministro da Solidariedade e Segurança Social, ficou responsável pelo Emprego, até então integrado na Economia
Em setembro de 2013, concretizou-se a oitava alteração no Governo: a mudança de um secretário de Estado, em setembro, na sequência da demissão de Joaquim Pais Jorge, que foi substituído na pasta do Tesouro por Isabel Castelo Branco (na foto)
A 30 de dezembro de 2013 foram substituídos os secretários de Estado da Administração Pública, da Administração Interna, e da Administração Patrimonial e Equipamentos do Ministério da Justiça
Fernando Alexandre (ao centro) deixou o Governo a seu pedido, a 22 de abril
A 16 de novembro do ano passado, Miguel Macedo (em frente a Cavaco Silva) anunciou a demissão por considerar que a sua autoridade enquanto governante tinha ficado diminuída com o envolvimento de pessoas próximas nas investigações da Operação Labirinto
A 10.ª alteração no Governo aconteceu a 21 de outubro do ano passado, com a tomada de posse de Fernando Egídio Reis (à esquerda) como secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, em substituição de João Grancho (à direita)
Em setembro de 2014, o Executivo perdeu outros dois elementos - os secretários de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, e das Florestas, Francisco Gomes da Silva - que não foram substituídos, o que fez diminuir o número de secretarias de Estado de 41 para 39
Em abril de 2013 realizou-se a quarta alteração ao executivo e a primeira remodelação ministerial, com a saída do ministro adjunto do primeiro-ministro, Miguel Relvas, substituído por dois ministros: Luís Marques Guedes e Miguel Poiares Maduro
A sexta alteração à composição do Governo aconteceu no início de junho de 2013, provocada pela demissão de Vítor Gaspar do cargo de ministro de Estado e das Finanças, que foi substituído por Maria Luís Albuquerque
A sétima e maior remodelação do Governo foi concretizada no final de julho: Paulo Portas tomou posse como vice-primeiro-ministro, sendo substituído por Rui Machete nas funções de ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros
O chefe do executivo retirou Álvaro Santos Pereira (à esquerda) de ministro da Economia, substituindo-o por António Pires de Lima (à direita)
Jorge Moreira da Silva ficou à frente de uma nova pasta do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia
A ministra Assunção Cristas perdeu a tutela do Ordenamento do Território e do Ambiente, ficando apenas ministra da Agricultura e do Mar
Pedro Mota Soares, ministro da Solidariedade e Segurança Social, ficou responsável pelo Emprego, até então integrado na Economia
Em setembro de 2013, concretizou-se a oitava alteração no Governo: a mudança de um secretário de Estado, em setembro, na sequência da demissão de Joaquim Pais Jorge, que foi substituído na pasta do Tesouro por Isabel Castelo Branco (na foto)
A 30 de dezembro de 2013 foram substituídos os secretários de Estado da Administração Pública, da Administração Interna, e da Administração Patrimonial e Equipamentos do Ministério da Justiça

Conheça todas as mudanças no Governo

Veja as 12 alterações que o atual Executivo já sofreu.

23 de Abril de 2015 às 10:55

Mais vistos