Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Condenadas 13 pessoas por envolvimento em motim no funeral do kudurista angolano "Nagrelha"

Polícia Nacional de Angola deteve 14 jovens suspeitos de vandalismo.
Lusa 25 de Novembro de 2022 às 18:30
Funeral do Rei do Kuduro
Funeral do Rei do Kuduro
Treze pessoas foram condenadas na quinta-feira pelo envolvimento num motim durante o funeral do kudurista angolano "Nagrelha", anunciou hoje a Polícia Nacional de Angola.

A condenação surgiu dois dias depois de a Polícia Nacional de Angola ter detido 14 jovens suspeitos de vandalismo, "quando, alegadamente, participavam do funeral do músico 'Nagrelha' dos Lambas", realizado na terça-feira, e ao qual acorreram milhares de pessoas.

Os distúrbios começaram quando os suspeitos se dirigiam ao cemitério da Santana onde decorria o funeral, e no caminho "começaram a vandalizar tudo que encontravam", incluindo viaturas particulares e das autoridades, postos de energia e lojas, bem como a assaltar os transeuntes.

"Tendo em conta o cordão policial que foi criado naquela zona, a polícia imediatamente procedeu à detenção dos então presumíveis autores, que, na sequência, foram encaminhados ao Ministério Público para julgamento sumário", lê-se numa nota.

Os autores do crime foram condenados a penas de 10 a 30 dias de prisão efetiva e ao pagamento de emolumentos de 5 mil  kwanzas (cerca de 10 euros), para o defensor oficioso e uma taxa de justiça de 15 mil kwanzas (28 euros) cada.

O funeral do famoso kudurista ficou marcado por tumultos junto ao cemitério, levando a polícia a intervir para dispersar o enorme aglomerado humano com gás lacrimogéneo e disparos com balas de borracha que lançaram o pânico entre a multidão.

Durante a debandada, um menor morreu e 33 pessoas ficaram feridas durante os incidentes ocorridos no funeral, incluindo 16 polícias.

Ver comentários
C-Studio