Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Contribuintes cabo-verdianos querem pagar impostos em prestações devido à Covid-19

Mais de 700 indivíduos e empresas do país deram entrada com pedidos para negociar o pagamento faseado de 8,3 milhões de euros de impostos.
Lusa 18 de Agosto de 2020 às 10:23
Contribuintes cabo-verdianos vão poder regularizar dívidas ao fisco em prestações mensais até cinco anos
Contribuintes cabo-verdianos vão poder regularizar dívidas ao fisco em prestações mensais até cinco anos FOTO: Direitos Reservados
Mais de 700 contribuintes cabo-verdianos deram entrada com pedidos para negociar o pagamento faseado de 8,3 milhões de euros de impostos, alegando o impacto da Covid-19, segundo dados oficiais divulgados esta terça-feira.

De acordo com uma nota do Governo a que a Lusa teve acesso, foram apresentados até ao momento 706 "pedidos de negociação" de pagamento de impostos e taxas por empresas e contribuintes individuais, no valor total de quase 920 milhões de escudos (8,3 milhões de euros), ao abrigo das medidas extraordinárias fiscais e temporárias devido à pandemia.

Os contribuintes cabo-verdianos vão poder regularizar dívidas ao fisco em até cinco anos de prestações mensais, conforme previsto no Orçamento Retificativo para 2020, que entrou este mês em vigor, como forma de mitigar as consequências da crise económica resultante da Covid-19.

A lei do Orçamento Retificativo prevê que a Direção Nacional de Receitas do Estado (DNRE), "fica autorizada a permitir pagamentos em prestações de dívidas fiscais".

A medida inclui pagamentos em atraso de Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) e retenção na fonte de Imposto Sobre o Rendimento, "resultantes de períodos anteriores a abril de 2020" e desde que "não estejam abrangidas pelo regime especial de regularização das dívidas, mediante negociação em prazos mais alargados, nunca excedendo as 60 prestações [mensais, cinco anos]".

"As dívidas que se encontram em fase de execução fiscal em curso ficam suspensas, mediante renegociação dos atrasos em prazos mais alargados, nunca excedendo as 60 prestações", lê-se ainda no documento.

"O não pagamento de três prestações seguidas ou seis interpoladas implica o vencimento de toda a dívida e a cessação das condições especiais de negociação", refere ainda, acrescentando que as "dívidas não negociadas e em situação de incumprimento em 31 de dezembro de 2020 ficam, automaticamente, sujeitas às ações de cobrança coerciva".

Cabo Verde registava no final do dia 17 de agosto um acumulado de 3.203 de covid-19, diagnosticados desde 19 de março, com 36 óbitos.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 770.429 mortos e infetou mais de 21,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Covid-19 economia (geral) orçamento Cabo Verde coronavírus
Ver comentários