Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Executivo angolano diz que decisões sobre clima precisam de previsões credíveis

Ministro angolano das Telecomunicações e Tecnologias de Informação diz ser necessário realizar mais estudos sobre o clima.
Lusa 28 de Agosto de 2019 às 13:53
Ministro angolano das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha
Ministro angolano das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha FOTO: Facebook
O ministro angolano das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, disse esta quarta-feira que é necessário realizar mais estudos sobre o clima para permitir aos decisores tomar as medidas certas na altura certa.

O ministro, que falava na abertura do 23.º Fórum Regional de Previsão Climática para a África Austral, que se realizou pela primeira vez em Angola, salientou que o executivo angolano é "sensível às questões do tempo e do clima" e considerou que "o desafio" é obter informações fiáveis relativas ao tempo e ao clima.

"É necessário que cada vez mais a nossa região tenha previsões antecipadas e credíveis dos serviços de meteorologia e climáticos, para que possamos minimizar as perdas resultantes dos impactos destes eventos climáticos extremos, especialmente na nossa região, tal como assistimos aos que ocorreram nos países irmãos como Malaui, Moçambique e Zimbabwe", que foram atingidos este ano por ciclones devastadores.

O evento, que começou esta quarta-feira e se prolonga até 30 de agosto, reúne delegados dos 16 países da região SADC (Comunidade de Desenvolvimento da África Austral) incluindo Moçambique e Angola e acontece numa altura em que a região sul do país é assolada por uma grave seca

"É necessário realizar estudos que permitam compreender os fenómenos (...) para que os decisores possam tomar as medidas certas no momento certo", sublinhou o governante.

Por isso, o governo está a desenvolver um programa de modernização do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) que permitirá que este organismo possa "apoia o desenvolvimento económico e social do país", partilhando informações fiáveis relativas ao tempo e ao clima com todos os cidadãos.

Para José Carvalho Rocha, este fórum "é uma oportunidade" para estabelecer bases de dados integradas de informações meteorológicas e de clima, que estejam disponíveis para toda a região da SADC e do mundo

"Precisamos de continuar a partilhar ideias, para que os decisores possam tomar as decisões certas", reforçou.

Deste encontro de especialistas em meteorologia resultará, na sexta-feira, uma previsão sazonal regional para o período das chuvas na época 2019/2020, entre outubro e abril.

O bloco da SADC é constituído por Angola, Malauí, Ilhas Maurícias, Moçambique, Namíbia, Seychelles, Tanzânia, Zâmbia, Zimbabué, África do Sul, Botsuana, República Democrática do Congo (RDCongo), Comores, E-swatini (antiga Suazilândia), Lesotho e Madagáscar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)