Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Explosões e pandemia 'custam' 625 milhões de dólares à Guiné Equatorial

Foi aprovada uma ajuda de emergência pelo Fundo Monetário Internacional.
Lusa 20 de Setembro de 2021 às 13:39
Fundo Monetário Internacional
Fundo Monetário Internacional FOTO: Getty Images
A pandemia de covid-19 e as três explosões em Bata, em março, elevaram as necessidades de financiamento na Guiné Equatorial em 625 milhões de dólares, disse à Lusa a chefe de missão do FMI neste país lusófono.

"A pandemia de covid-19 e as explosões em Bata [na parte continental do país, em março] infligiram graves danos à economia da Guiné Equatorial e aumentaram as necessidades de financiamento externo na balança de pagamento em mais cerca de 625 milhões de dólares [533 milhões de euros], o que representa 5% do PIB, relativamente ao Programa de Financiamento Ampliado [EFF, na sigla em inglês], entre 2021 e 2022", disse Mariana Colacelli.

Em entrevista à Lusa no seguimento da aprovação de uma ajuda de emergência (RFI, na sigla em inglês) no valor de 67,3 milhões de dólares (57,3 milhões de euros) pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), a responsável pelas negociações com o governo de Malabo explica que esta ajuda foi dada porque o programa financeiro acordado em dezembro de 2019 não garantia uma resposta eficaz à "crise humanitária" que se vive no país.

Guiné Equatorial FMI Bata política ajuda externa organizações internacionais
Ver comentários