Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Jornalistas de televisão privada detidos na Guiné Equatorial

Profissionais estão detidos por terem feito "um trabalho que não deveriam fazer", afirmou um diretor adjunto de segurança.
Lusa 4 de Setembro de 2019 às 14:46
A maioria das mortes de jornalistas ocorre em zonas de conflito armado
A maioria das mortes de jornalistas ocorre em zonas de conflito armado FOTO: Getty Images
Dois jornalistas de uma cadeia de televisão privada da Guiné Equatorial estão detidos há oito dias no comissariado central da polícia de Bata, capital económica do país, disse esta quarta-feira fonte da empresa.

Raul Obiang, chefe do serviço de informação da cadeia Asonga TV, citado pela agência France-Presse, adiantou que o diretor adjunto de segurança lhe disse que os jornalistas estavam detidos por terem feito "um trabalho que não deveriam fazer".

A natureza exata dos factos atribuídos aos dois jornalistas, Melanio Nkogo e Ruben Dario Bacale, não foi especificada pela polícia, acrescentou Obiang.

No fim de semana anterior à detenção dos dois jornalistas, que terá ocorrido na terça-feira da semana passada, a Asonga TV difundiu uma entrevista realizada pelos dois jornalistas com um juiz do tribunal de instrução de Bata, Nazario Oyono, que tinha sido suspenso de funções alguns dias antes.

Oyono foi alegadamente suspenso por "irregularidades" a 21 de agosto pelo presidente do Supremo Tribunal, David Nguema Obiang, e os dois magistrados acusam-se mutuamente de terem impedido a abertura de um processo por desvio de fundos.

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) apelou às autoridades para que libertem os dois jornalistas, considerando que a sua detenção "ilustra a extrema vulnerabilidade" dos jornalistas equato-guineenses "que receiam pela sua liberdade", disse à AFP Arnaud Froger, responsável pelo escritório de África da organização.

A RSF assinalou que a Guiné Equatorial é o 165.º país entre 180 em matéria de liberdade de imprensa segundo o índice da organização e recordou o caso de Ramon Nse Esono Ebalé, caricaturista preso durante cinco meses e libertado no início de março de 2018.

A rádiotelevisão Asonga, único meio audiovisual privado do país, é propriedade do vice-presidente da República, "Teodorin" Nguema Obiang, filho mais velho do Presidente Teodoro Obiang Nguema, no poder há 40 anos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)