Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Mais de três mil alunas grávidas voltaram a estudar em Moçambique após fim de proibição

Medida representa fim de uma situação discriminatória e a oportunidade de estudarem em igualdade de circunstâncias com os rapazes.
Lusa 25 de Julho de 2019 às 13:22
Grávida
Grávida FOTO: Getty Images
Mais de três mil crianças e adolescentes que estavam grávidas em 2018 em Moçambique voltaram ao curso diurno, na sequência da revogação de uma decisão do Governo que apenas permitia grávidas no curso diurno no ensino primário e secundário.

O porta-voz do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano de Moçambique (MINEDH), Manuel Rego, em declarações ao canal privado STV, afirmou que todas as crianças e adolescentes do ensino primário e secundário que estavam grávidas e obrigadas a estudar no curso noturno voltaram ao curso diurno, na sequência do levantamento da proibição.

Manuel Rego assinalou que a medida representou o fim de uma situação discriminatória para as alunas e a oportunidade de estudarem em igualdade de circunstâncias com os rapazes.

A proibição de crianças e adolescentes grávidas estudarem de dia durou vários anos no país, mas foi sempre alvo de fortes críticas de organizações da sociedade civil de defesa dos direitos da criança e das raparigas, devido ao seu caráter discriminatório.

Os riscos à integridade física das meninas obrigadas a estudar à noite também foi apontado com uma das razões para a necessidade de revogação da medida.
Moçambique Manuel Rego educação ensino adolescentes escola política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)