Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Oposição em Moçambique questiona Governo sobre caso de empresário português raptado

Américo Sebastião foi raptado na zona centro do país em 2016.
16 de Maio de 2019 às 15:41
Américo Sebastião
Américo Sebastião FOTO: Direitos Reservados
A Resistência Nacional de Moçambique (Renamo), principal partido da oposição, questionou esta quinta-feira o Governo moçambicano, no parlamento, sobre a investigação ao caso do empresário português Américo Sebastião, raptado na zona centro do país em 2016.

"Como está o caso Américo Sebastião? O Governo recebeu ou não a manifestação de interesse das autoridades portuguesas de ajudarem na investigação e esclarecimento do caso Américo Sebastião", questionou António Muchanga, deputado da Renamo.

A procuradora-geral da República (PGR) de Moçambique, Beatriz Buchili, disse em abril não ter recebido nenhum documento formal da sua homóloga portuguesa, depois de a PGR portuguesa ter anunciado que disponibilizava apoio à investigação e de o ter reafirmando posteriormente.

"Será que as autoridades portuguesas mentiram aos órgãos de informação? Podemos assumir que a Procuradoria de Portugal mentiu? E o Presidente de Portugal também mentiu? Qual é a verdade", continuou António Muchanga.

O executivo moçambicano esteve no parlamento a responder às perguntas dos deputados, mas até ao fim da sessão desta quinta-feira não houve esclarecimentos sobre a questão relacionada com o caso Américo Sebastião.

O empresário foi raptado numa estação de abastecimento de combustíveis na manhã de 29 de julho de 2016, em Nhamapadza, distrito de Maringué, na província de Sofala, no centro de Moçambique.

O crime foi perpetrado por homens fardados, que algemaram o empresário e o colocaram dentro de uma das duas viaturas descaracterizadas com que deixaram o posto de combustíveis, segundo testemunhas.

A esposa, Salomé Sebastião, desencadeou várias petições e contactos ao mais alto nível.

No início do ano, a PGR mandou avocar o processo, que tinha sido encerrado, pela Procuradoria Provincial de Sofala, no centro de Moçambique, alegadamente por falta de elementos, sem que até hoje tenha havido desenvolvimentos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)