Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

PGR angolana anuncia apreensão do capital social do general "Dino" na Unitel

Leopoldino do Nascimento integrou os serviços da Presidência da República, ao tempo do ex-presidente José Eduardo dos Santos.
Lusa 14 de Janeiro de 2022 às 20:12
Leopoldino do Nascimento ‘Dino’ está acusado também por corrupção
Leopoldino do Nascimento ‘Dino’ está acusado também por corrupção FOTO: Direitos Reservados
A Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola anunciou esta sexta-feira em Luanda que o Serviço Nacional de Recuperação de Ativos "procedeu à apreensão de 25% das participações sociais que a sociedade comercial Geni detém no capital social da Unitel".

A Geni é propriedade do general angolano Leopoldino do Nascimento "Dino", que integrou os serviços da Presidência da República, ao tempo do ex-presidente José Eduardo dos Santos e do antigo vice-presidente Manuel Vicente.

Os 25% apreendidos constituem a parte do capital social da Unitel que era detida pelo general Leopoldino do Nascimento "Dino".

Numa nota a que a Lusa teve acesso, a PGR explica que a apreensão decorre de um processo de investigação patrimonial e financeiro, relacionado com o processo-crime instaurado pela Direção Nacional de Investigação e Ação Penal (DNIAP), um órgão da Procuradoria-Geral da República angolana.

"Para fiel depositário das referidas participações sociais foi nomeado o Instituto de Gestão de Ativos e Participações do Estado (IGAPE)", conforme estipula o Código do Processo Penal e o decreto presidencial n.º 72/20, de 20 de março.

Com esta apreensão, o Estado angolano passa a deter a totalidade do capital social da empresa angolana Unitel, uma empresa prestadora de serviços na área das telecomunicações móveis, tendo sido a primeira a operar com a tecnologia GSM no mercado angolano.

Metade do capital social da Unitel é detida pela petrolífera estatal angolana Sonangol, que ficou com os 25% que pertenciam à empresária angolana Isabel dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos, através de uma decisão do Tribunal Supremo das Ilhas Virgens Britânicas.

Ver comentários