Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas

Grande parte da droga foi apreendida no aeroporto de Maputo, entre julho de 2018 e outubro de 2019.
Lusa 23 de Outubro de 2019 às 16:59
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
Polícia moçambicana queima mais de 500 quilogramas de drogas
O Serviço Nacional de Investigação Criminal (Sernic) em Maputo, Moçambique, incinerou esta quarta-feira 543 quilogramas de diversas drogas apreendidas entre julho de 2018 e outubro de 2019.

"As apreensões das drogas resultaram da detenção de 319 arguidos, dos quais 33 estrangeiros e 286 moçambicanos, e ainda 223 processos, dos quais 120 já concluídos e remetidos às procuradorias", disse Rainha Gamboa, diretora do Sernic na cidade de Maputo, no ato da incineração.

Os arguidos, para além da nacionalidade moçambicana, são oriundos de Tanzânia, Guiné-Bissau, Brasil, Angola, Venezuela, Maláui, Estados Unidos da América, Nigéria, Canadá, Gana, África do Sul e Somália.

Grande parte da droga foi apreendida no aeroporto de Maputo, o principal do país que serve de rota de entrada de estupefacientes provenientes da América do Sul, Europa e África.

As drogas apreendidas são: 23 quilogramas de cocaína, 67 de heroína, 4 de efredina, 800 gramas de metanfetamina, e 153 de catonina, entre outras.

O Gabinete das Nações Unidas contra a Droga e o Crime (UNODC) alertou em setembro que Moçambique se tornou num corredor de grandes volumes de substâncias ilícitas, principalmente heroína, defendendo uma maior cooperação internacional para a prevenção do tráfico de froga.

A costa moçambicana é cada vez mais usada como um corredor importante para a heroína proveniente do Afeganistão e em trânsito para outras regiões do mundo, acrescentou a UNODC.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)