Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Preços de combustíveis sobem em Moçambique

Petróleo de iluminação também sobe de 50,16 meticais (73 cêntimos de euro) para 77,48 meticais (1,13 euro) por litro.
Lusa 23 de Maio de 2022 às 19:35
Combustíveis
Combustíveis FOTO: Cátia Barbosa
A Autoridade Reguladora de Energia (Arene) de Moçambique anunciou esta segunda-feira o reajuste dos preços dos combustíveis no país, com um aumento em todos produtos petrolíferos a partir de terça-feira.

A gasolina sobe de 77,39 meticais (1,13 euro) para 83,30 meticais (1,22 euro) por litro, o gasóleo passa de 70,97 meticais (um euro) para 78,48 meticais (1,15 euro) por litro e o gás doméstico também registou uma subida, passando de 80,49 meticais (1,18 euro) para 85,53 (1,25 euro) por quilo, segundo a nova tabela apresentada em conferência de imprensa pela Arene.

O petróleo de iluminação também sobe de 50,16 meticais (73 cêntimos de euro) para 77,48 meticais (1,13 euro) por litro.

Segundo o presidente da Arene, Paulo António da Graça, o Governo moçambicano procurou evitar um reajuste que pressionasse o cidadão, retirando temporariamente a taxa sobre os combustíveis para evitar uma subida drástica.

"A aplicação destas medidas permitiu que se fizesse uma redução dos aumentos reais, visando minimizar o impacto ao consumidor final. Olhando, por exemplo, para o gasóleo, que é um produto primordial para a nossa economia, fez-se um esforço para que os ajustamentos não fossem feitos com base nos preços reais, onde teríamos um amento de cerca de 13 meticais [19 cêntimos de euro]", declarou Paulo António da Graça.   

Os produtos petrolíferos à venda em Moçambique são importados por via marítima em cargueiros especiais, através de um processo centralizado por lei numa única entidade pública, a Imopetro, detida pelas distribuidoras de produtos petrolíferos que operam no país.

O aumento do preço ocorre um mês após a Associação Moçambicana de Empresas Petrolíferas (Amepetrol) pedir um reajuste dos preços, alertando que as dívidas do Estado às gasolineiras podem paralisar a distribuição, num momento em que os preços no mercado internacional estão a disparar como impacto da invasão russa da Ucrânia.

No total, segundo informação avançada em abril pela Amepetrol, o Governo moçambicano devia às gasolineiras acima de 110 milhões de dólares (cerca de 102 milhões de euros).

Ver comentários
}