Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Solenova inicia construção do primeiro projeto fotovoltaico do Namibe, no sul de Angola

Central fotovoltaica amiga do ambiente ficará localizada numa zona desértica não habitada.
Lusa 20 de Maio de 2022 às 22:43
Central fotovoltaica
Central fotovoltaica FOTO: Lusa
A Solenova arrancou com a construção da central fotovoltaica de Caraculo, a primeira na província do Namibe, no sul de Angola, que permitirá reduzir o consumo de gasóleo para a produção de eletricidade, adiantou esta sexta-feira a empresa.

Esta central fotovoltaica "amiga do ambiente" ficará localizada numa zona desértica não habitada e contribuirá para a redução do consumo de gasóleo para a produção de eletricidade e apoiará a transição energética e a diversificação da matriz energética em Angola, particularmente na região sul, salientou, em comunicado, a Solenova, empresa detida pela Eni e Sonangol.

"O projeto de Caraculo compreende a instalação faseada de uma central fotovoltaica de 50 MW, sendo a primeira fase de 25 MW. As atividades de construção estarão ao encargo da Saipem, e a energia elétrica será despachada para a rede de transmissão do sul", pode ler-se.

Em termos de benefícios ambientais específicos, a central fotovoltaica de Caraculo será capaz de reduzir 50 KtCO2eq/ano de emissões de gases de efeito de estufa, acrescentou a Solenova.

"O projeto enquadra-se nos objetivos do "Angola Energia 2025", o plano a longo prazo do governo angolano para o sector energético, cujo principal objetivo é proporcionar à população o acesso a serviços energéticos básicos. Contribuirá também para a realização dos objetivos do "Plano de Acção do Sector de Energia e Águas 2018 - 2022" do Governo de Angola, que estabelece, a médio prazo, uma meta de 500 MW adicionais de energia renovável (Solar, Eólica, Biomassa e Mini-Hidro) até 2022, com um enfoque específico em projetos solares à escala de utilidade pública", referiu.

À escala global, o projeto está em conformidade com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 7 das Nações Unidas: acesso a energia limpa e acessível, salientou ainda.

A cerimónia de lançamento da primeira pedra, que marca o arranque da construção da central fotovoltaica, contou com a presença do ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás de Angola, Diamantino Azevedo e do governador da província do Namibe, Archer Mangueira, entre outros, referiu a Solenova no comunicado de imprensa.

Ver comentários
}