Correio da Manhã

Relatório denuncia 3.677 abusos sexuais desde 1946 cometidos por elementos da Igreja
Foto Luís Vieira/Record
Abusos sexuais por parte da Igreja denunciados.
Foto Getty Images
Foto Getty Images
Foto Getty Images
Foto Getty Images
Foto Reuters
Foto EPA
Foto CMTV
15:14
  • Partilhe
Conferência Episcopal Alemã encomendou o relatório interno.

Um relatório encomendado pela Conferência Episcopal Alemã e revelado pela revista semanal alemã Der Spiegel aponta para a existência de 3.677 casos de abusos sexuais em menores de idade, a maioria homens, cometidos por 1.670 clérigos e padres da Igreja Católica entre 1946 e 2014 na Alemanha. 

Questionado sobre o relatório, um porta-voz da Conferência Episcopal disse à agência Reuters: "Estamos a investigar o assunto".

A Igreja Católica, que tem mais de 1,2 bilhão de adeptos em todo o mundo, lutou nos últimos anos contra vários relatos de abuso sexual por parte do clero que prejudicaram sua autoridade moral e criaram uma crise no seio da Igreja.

O estudo alemão examinou mais de 38 mil funcionários e arquivos de referência de 27 dioceses de todo o país e mostrou que mais da metade das vítimas tinham no máximo 13 anos de idade na época do crime, avançou a revista Spiegel.

Cerca de um em cada seis dos casos documentados envolveu violação e três quartos das vítimas foram abusadas numa igreja ou através de uma relação pastoral com o agressor. Em muitos casos, as evidências foram destruídas ou manipuladas, de acordo com o estudo.

PUBLICIDADE
Apenas um terço dos acusados teve que enfrentar um processo legal por parte da Igreja e as sanções, se impostas, foram mínimas. 4% das pessoas que cometeram abuso sexual mantiveram funções.

Em agosto, um grande júri no estado americano da Pensilvânia divulgou os resultados da maior investigação já feita sobre abuso sexual na Igreja Católica nos Estados Unidos. Foram descobertos 301 padres que abusaram sexualmente de menores nos últimos 70 anos naquele estado dos EUA.

Siga o CM no Facebook.

  • Partilhe
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE