Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

'Mayor' pede cancelamento da visita de Trump ao Reino Unido

Presidente norte-americano criticou Sadiq Khan pela sua resposta ao atentado.
Lusa 6 de Junho de 2017 às 18:20
O presidente da Câmara de Londres, Sadiq Khan
Donald Trump
O presidente da Câmara de Londres, Sadiq Khan
Donald Trump
O presidente da Câmara de Londres, Sadiq Khan
Donald Trump
O presidente da câmara ('mayor') de Londres, criticado por Donald Trump após o atentado de sábado, defendeu esta terça-feira que o Reino Unido deve retirar o convite que fez ao Presidente norte-americano para uma visita de Estado.

"Digo há muito tempo que o convite da primeira-ministra a Donald Trump foi prematuro", disse Sadiq Khan esta terça-feira às agências France-Presse e Associated Press, reiterando o que afirmou na segunda-feira à noite ao canal de televisão britânico Channel 4.

"Tendo em conta que muitos britânicos não estão de acordo com muitas das políticas de Donald Trump, não devia haver visita de Estado", disse, acrescentando contudo que Londres deve "naturalmente continuar a falar" com o Presidente dos Estados Unidos.

No fim de semana, Trump criticou Khan pela sua resposta ao atentado, mas ao fazê-lo citou erradamente o presidente da câmara da capital britânica. Quando mais tarde o gabinete de Khan apontou o erro de Trump, o Presidente norte-americano respondeu acusando o 'mayor' de dar uma "desculpa patética".

A troca de comentários começou no domingo de manhã, quando Trump acusou Khan de encarar o terrorismo com ligeireza. "Pelo menos 7 mortos e 48 feridos num atentado terrorista e o presidente da câmara de Londres diz que 'não há razão para alarme'", escreveu Trump na rede social Twitter, citando erradamente Khan, que tinha pedido aos londrinos para não se alarmarem com o reforço da presença de polícia armada nas ruas.

Nas declarações que fez ao Channel 4, Sadiq Khan considerou que Trump está errado em "muitas coisas" e por isso não deve haver uma visita de Estado ao Reino Unido.

"Penso que não devemos estender uma passadeira vermelha ao Presidente dos Estados Unidos na circunstância em que as políticas dele vão contra tudo o que defendemos", disse.

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, que foi 'mayor' de Londres antes de Khan, considerou não haver razão para cancelar o convite a Trump, mas manifestou por outro lado o seu apoio ao presidente da câmara de Londres.

"O convite foi feito e foi aceite e não vejo razões para alterar isso", disse Johnson à BBC. "Mas relativamente às declarações de Sadiq Khan, as palavras reconfortantes que dirigiu aos londrinos, penso que fez bem em falar assim", acrescentou.

Esta não é a primeira polémica em torno da visita de Trump ao Reino Unido, ainda sem data marcada mas prevista para este ano.

No final de janeiro, um grupo de cidadãos lançou uma petição 'online' para que a visita de Estado seja reduzida a visita oficial, já assinada por 1,8 milhões de pessoas.

A petição, que sustenta a proposta com a importância de não constranger a rainha, foi lançada dias depois da visita a Washington da primeira-ministra britânica, Theresa May, a primeira dirigente estrangeira a visitar a Casa Branca após a posse de Donald Trump.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)