Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

146 desaparecidos após novo naufrágio no Mediterrâneo

A maioria dos passageiros eram provenientes da Nigéria, Mali e Gâmbia.
Lusa 29 de Março de 2017 às 16:37
Mediterrâneo
Mediterrâneo FOTO: Getty Images
Cerca de 146 migrantes estão desaparecidos após a sua embarcação ter naufragado esta quarta-feira no Mediterrâneo, de acordo com um cidadão da Gâmbia resgatado após o acidente e citado pela agência para os refugiados da ONU.

O homem foi recolhido por um navio militar espanhol que participa na "Operação Sofia" destinada a reprimir os traficantes, e depois levado para a ilha italiana de Lampedusa.

A embarcação saiu no domingo ou na segunda-feira de Sabratha, noroeste da Líbia, com cinco crianças e várias mulheres grávidas a bordo, referiu o gabonês a um membro do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR), que o visitou num hospital em Lampedusa.

A maioria dos passageiros eram provenientes da Nigéria, Mali e Gâmbia, disse.

O sobrevivente revelou que o barco começou a afundar-se algumas horas após a partida da costa líbia, e que sobreviveu ao agarrar-se a um recipiente para combustível.

De acordo com informações recolhidas pela Organização Mundial para as Migrações (OIM), o homem foi detetado quase acidentalmente pelo navio espanhol, que depois o transferiu para a guarda costeira italiana.

"Isso demonstra que podem existir náufragos que não detetamos, porque os barcos se afundam sem deixar qualquer vestígio", assinalou em declarações à agência France-Presse o porta-voz da OIM, Flavio de Giacomo.

Segundo a OIM, e desde o início do ano, pelo menos 590 migrantes morreram ou estão desaparecidos ao longo da costa da Líbia, excluindo este último acidente.
migrantes refugiados síria Mediterrâneo naufrágio Nigéria Mali Gâmbia
Ver comentários