Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Homens armados atacaram casa do vice-presidente do Quénia

País está a a dez dias de eleições gerais.
29 de Julho de 2017 às 17:27
Quénia
presidente, Quénia, William Ruto, France Presse, Raila Odinga, Uhuru Kenyatta, Presidência, primeiro-ministro do Quénia, Mwai Kibaki, política
presidente, Quénia, William Ruto, France Presse, Raila Odinga, Uhuru Kenyatta, Presidência, primeiro-ministro do Quénia, Mwai Kibaki, política
Quénia
presidente, Quénia, William Ruto, France Presse, Raila Odinga, Uhuru Kenyatta, Presidência, primeiro-ministro do Quénia, Mwai Kibaki, política
presidente, Quénia, William Ruto, France Presse, Raila Odinga, Uhuru Kenyatta, Presidência, primeiro-ministro do Quénia, Mwai Kibaki, política
Quénia
presidente, Quénia, William Ruto, France Presse, Raila Odinga, Uhuru Kenyatta, Presidência, primeiro-ministro do Quénia, Mwai Kibaki, política
presidente, Quénia, William Ruto, France Presse, Raila Odinga, Uhuru Kenyatta, Presidência, primeiro-ministro do Quénia, Mwai Kibaki, política
Um grupo de homens armados atacou este sábado a casa do vice-presidente do Quénia, William Ruto, a dez dias de eleições gerais que se anunciam tensas, segundo fontes policiais.

Ruto e a sua família não estavam presentes na casa na região de Eldoret (noroeste do Quénia) no momento do ataque, cujos motivos são desconhecidos.

Segundo informou à France Presse uma fonte que pediu anonimato, um polícia ficou gravemente ferido no ataque.

As eleições no Quénia realizam-se a oito de agosto, sendo o atual presidente, Uhuru Kenyatta, candidato a novo mandato. O seu principal rival é Raila Odinga, candidato da coligação da oposição.

Raila Odinga foi primeiro-ministro do Quénia entre 2008 e 2013 e foi candidato à Presidência três vezes (em 1997, 2007 e 2013), de todas saindo derrotado.

A campanha decorre num ambiente tenso, com acusações entre os dois lados.

As eleições no Quénia, geralmente, baseiam-se menos nos programas eleitorais dos candidatos e mais nos sentimentos de pertença étnicos e geográficos.

Há 10 anos, uma onda de violência eleitoral causou mais de um milhar de mortos no Quénia, provocada por dúvidas sobre a credibilidade da reeleição de Mwai Kibaki, que venceu por pouco o oponente Raila Odinga.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)