Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Justiça eleitoral abre processo a Bolsonaro

Presidente pode ser impedido de se recandidatar ao cargo por falsas alegações.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 4 de Agosto de 2021 às 08:49
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro
O Tribunal Superior Eleitoral do Brasil (TSE) abriu uma investigação contra o presidente, Jair Bolsonaro, por alegar falsamente que as Presidenciais de 2014 e 2018 foram fraudulentas e por ameaçar impedir a realização das eleições do próximo ano se a votação não for feita em papel. Se for condenado, Bolsonaro poderá ser declarado inelegível e ficar impedido de se recandidatar em 2022.

A investigação foi aberta em resposta a um direto de Bolsonaro nas redes sociais, no qual repetiu, mais uma vez sem apresentar qualquer prova, as denúncias de que houve fraude nas eleições de 2018 - nas quais, apesar das supostas irregularidades, foi eleito - e de 2014, vencidas por Dilma Rousseff. Alegou ainda que o TSE estaria a preparar uma nova fraude para, em 2022, eleger o ex-presidente Lula da Silva.

Bolsonaro e o ministro da Justiça, Anderson Torres, que participou no direto, vão ser chamados a depor e a provar as acusações de fraude, ou serão condenados. Além disso, o TSE enviou uma cópia do vídeo ao Supremo Tribunal Federal, pedindo a abertura de outra investigação contra o presidente, desta feita por difusão de notícias falsas e presumível crime contra o sistema eleitoral, que pode resultar na perda do cargo.

Esta terça-feira, Bolsonaro subiu ainda mais o tom - convocou novos atos de rua e fez uma ameaça claramente endereçada ao TSE, que rejeita o regresso do voto em papel nas eleições. "É o último aviso!", afirmou.
Jair Bolsonaro Presidenciais Tribunal Superior Eleitoral do Brasil TSE política eleições
Ver comentários