Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Abusou da filha durante três décadas

Começou a abusar da filha quando a menina tinha apenas 11 anos e continuou a fazê-lo durante quase três décadas. A vítima teve quatro filhos do pai, um dos quais morreu. O caso passou-se na cidade australiana de Melbourne e tem muitas semelhanças com o do austríaco Josef Fritzl.
18 de Setembro de 2009 às 00:30

A polícia não avança pormenores sobre o processo e nem sequer revela o nome do criminoso, alegando que o caso está em segredo de Justiça. Mas o jornal autraliano ‘Herald Sun’ adianta que o homem terá uns 60 anos e vivia com a mulher e outros filhos em Latrobe Valley, Melbourne. Os quatro filhos-netos têm todos problemas de saúde congénitos, tendo um deles falecido pouco depois de nascer.

Ainda segundo o ‘Herald Sun’, a filha terá abordado a polícia, numa esquadra de Morwell (Melbourne), pela primeira vez em 2005, incitada por um vizinho. Contou os abusos cometidos pelo pai desde que tinha 11 anos, nos anos 70, e afirmou que nunca o denunciara porque ele ameaçara maltratar a mãe e os irmãos. Mas recusou-se a formalizar a queixa, por medo, e não quis colaborar com a polícia. Os abusos continuaram até que em em Junho passado, a vítima apresentou queixa formal.

Interrogado pela polícia, o pai negou quaisquer abusos e a polícia procedeu a testes de ADN, que comprovaram ser ele o pai dos filhos da vítima. Segundo o mesmo jornal, o criminoso terá sido detido em Fevereiro e já foi acusado de violação e incesto. Vai comparecer em tribunal em Novembro.

A mãe assegura que não sabia dos abusos. Descreve o marido como uma pessoa prepotente e de humor inconstante e diz que bebia muito. "Quando perguntava à minha filha quem era o pai das crianças, era sempre evasiva. Uma vez disse-me que era de um rapaz que conhecera numa discoteca", afirmou.

Ver comentários