Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

ACTIVISTAS FINTAM SEGURANÇA E ENTRAM NO PARLAMENTO

Os britânicos assistiram ontem a mais uma flagrante falta de segurança, com cinco activistas a invadirem a Câmara dos Comuns, onde decorria o ‘quente’ debate sobre a proibição da caça à raposa.
16 de Setembro de 2004 às 00:00
A invasão aconteceu apesar da presença de centenas de polícias, destacados junto ao Parlamento, onde se tinham concentrado milhares de manifestantes. O projecto-de-lei passou.
Quatro dos activistas a favor da caça à raposa entraram calmamente por uma porta situada por detrás do presidente do Parlamento e o quinto irrompeu por um outro acesso.
Vestidos com ‘t-shirts’ onde se via a imagem do primeiro-ministro britânico com chifres, todos eles se passearam dentro do recinto perante o ar estupefacto dos deputados e um deles chegou mesmo a abordar Alun Michael, ministro para os Assuntos Rurais, acabando depois por ser detidos.
Cá fora os ânimos estavam exaltados, com manifestantes a confrontarem-se com a Polícia, atirando-lhes nomeadamente garrafas. A violência obrigou a um reforço policial, tendo mesmo o porta-voz da associação Countryside Alliance, a organização que convocou a manifestação, intervindo para pedir calma e lembrar que a sua luta não é contra os polícias.
Apesar dos protestos, a proibição da caça à raposa foi aprovada pela Câmara dos Comuns com 356 votos a favor e 166 contra. Falta agora o aval dos lordes .
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)