Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Acusada de matar conde

Uma antiga bailarina de striptease começou ontem a ser julgada em Nice, no Sul de França, pelo homicídio do marido, um conde britânico conhecido co-mo um dos maiores playboys da Riviera francesa.
23 de Maio de 2007 às 00:00
Jamila M’Barek, de origem tunisina, conheceu Anthony Ashley-Cooper, décimo conde de Shaftesbury, no clube de striptease onde trabalhava e do qual ele era frequentador assíduo. O playboy rapidamente lhe propôs casamento e Jamila viveu um autêntico conto de fadas até 2004, altura em que o britânico decidiu trocá-la por outra stripper mais nova.
Foi nessa altura que, segundo a Acusação, Jamila e o irmão, Mohammed, decidiram matar Anthony, tudo porque a mulher temia ser riscada do milionário testamento do conde, cuja fortuna estava avaliada em seis milhões de libras (cerca de 8,8 milhões de euros). Jamila acabou por confessar o crime, mas depois retractou-se, alegando que o irmão matou Anthony durante uma discussão alimentada pelo álcool.
A ex-stripper pretende chamar como testemunhas abonatórias o ex-tenista Bjorn Borg e os actores George Clooney e Bruce Willis, de quem alega ter sido amante, mas todos eles já disseram que não a conhecem de lado nenhum.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)