Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

ADOPTARAM E ESPANCARAM 18 FILHOS

Há pouco mais de um ano, Tom e Debbie Schmitz foram retratados como verdadeiros heróis por vários órgãos de informação nos EUA. O casal tinha dois filhos e adoptara outros 16, a maioria com deficiências graves. Soube-se afinal que os filhos, agora sob custódia dos Serviços de Segurança Social de Trenton (Tennessee), eram tratados com violência, espancados e fechados numa jaula de metal.
1 de Julho de 2004 às 00:00
ADOPTARAM E ESPANCARAM 18 FILHOS
ADOPTARAM E ESPANCARAM 18 FILHOS
Os ‘media’ não pouparam louvores a Tom, de 45 anos, e Debbie, de 44 anos, pela coragem de adoptarem crianças que tinham poucas hipóteses de encontrar uma nova família devido às graves deficiências, como era o caso, por exemplo, de uma menina de quatro anos com síndroma de Down. Mais dignos de mérito eram porque não tinham grandes posses: ela ficava em casa, a tratar dos filhos e da quinta, ele trabalhava como vendedor.
Mas denúncias de duas enfermeiras que costumavam dar apoio a Tom e a Debbie e a alguns dos filhos desmascararam o casal.
FECHADAS EM JAULA
Soube-se, assim, que Debbie bebe muito e que maltratava as crianças. Mandava os filhos mais velhos a tratar dos mais novos. Obrigava as crianças a limpar a casa e tratar de dois cavalos e outros animais que havia na quinta. Uma vez espancou uma filha adoptiva adolescente com prótese numa perna por não trabalhar com rapidez e forçou-a dormir sem roupa no chão por ter partido um vaso de cerâmica. Uma outra filha adoptiva de 14 anos viu o seu longo e belo cabelo cortado rente por se recusar a revelar o nome do rapaz que lhe mandou um bilhete de amor.
Mas os maus tratos iam mais longe. Segundo a Polícia, algumas das crianças, incluindo as que tinham deficiências físicas graves, eram espancadas, abandonadas durante horas numa cave escura e fechadas numa jaula de metal. A Polícia apurou que o casal tinha sido investigado em Green Bay, Wisconsin, onde vivia, tendo-se mudado para Trenton, Tennessee, pouco depois.
Presente ao tribunal, o casal clamou inocência. O juiz marcou uma audiência preliminar para 17 de Agosto e permitiu que ambos ficassem em liberdade mediante o pagamento de uma caução: 50 000 dólares para Debbie e 25 000 dólares para Tom.
Ver comentários