Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Afegão convertido desapareceu

As autoridades do Afeganistão libertaram Abdul Rahman, o islâmico convertido ao cristianismo, considerando-o mentalmente incapaz de enfrentar um julgamento. Logo após ter saído da prisão de Policharki, Rahman desapareceu.
29 de Março de 2006 às 00:00
Regulando-se o Afeganistão pela lei islâmica, Rahman, de 41 anos, enfrentava a pena de morte por renunciar ao islamismo. Porém, mercê as intensas pressões internacionais, incluindo do Vaticano, o caso do afegão convertido foi reavaliado, tendo Rahman sido considerado inimputável.
Clérigos afegãos ficaram indignados com a decisão e exortaram que fosse morto assim que saísse da prisão. Perante as ameaças, Rahman pediu à ONU que o ajudasse a encontrar um país que o recebesse.
A Itália, que tem ligações com o Afeganistão – foi nesse país europeu que o rei Zahir se exilou durante o regime taliban – prontificou-se a recebê-lo. O seu desaparecimento poderá estar ligado à protecção dada por algum país.
Ver comentários