Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Agride namorada e obriga-a a comer fotografias de familiares mortos

Mulher revela que foi agredida com martelos e barras de ferro.
2 de Julho de 2018 às 14:57
Violência Doméstica
Violência Doméstica FOTO: Getty Images

Charlotte Rooks, de 34 anos, foi vítima de violência doméstica durante vários meses por parte do companheiro Craig Thomas, no País de Gales. Este foi considerado um dos casos mais graves de sempre no Reino Unido.

"Tortura" e "inferno" foram as palavras que Charlotte Rooks utilizou para descrever os meses em que esteve sujeita a episódios de violência doméstica por parte do seu ex-namorado.

Entre os cenários mais macabros estão agressões com martelos e barras de ferro. Charlotte revelou ainda que o antigo companheiro, Craig Thomas, a obrigou a comer várias fotos de familiares que já tinham morrido.

A casa de Charlotte e Craig foi várias vezes visitada pelas autoridades, mas em nenhuma dessas oportunidades os agentes conseguiram encontrar motivos para suspeitar de atos de violência doméstica.

A primeira vez que a polícia bateu à porta do casal foi em maio de 2013, depois de os vizinhos terem relatado às autoridades que ouviram uma mulher em pânico a gritar.

Craig Thomas conseguiu escapar às várias tentativas da polícia em descobrir o que se passava, a desculpa dada pelo agressor foi que estavam a praticar sexo e a companheira gritou alto demais.

Ainda durante essa primeira visita Charlotte tentou chamar a atenção das autoridades ao dizer que o barulho podia ser do bebé. No entanto os agentes não conseguiram perceber o pedido de ajuda da mulher, visto que não existia nenhum bebé em casa.

Meses mais tarde a polícia voltou a visitar a morada do casal, depois de terem recebido uma denúncia anónima que afirmava ter visto Thomas a bater em Charlotte, por uma das janelas de casa.

Quatro polícias foram destacados para averiguar o que se passava, mas o companheiro de Charlotte voltou a convencer os agentes que estava tudo bem entre o casal.

Depois das visitas da polícia o agressor tornava-se ainda mais violento, afirma a vítima.

Charlotte, que estava grávida, conta que chegou a ser atingida no estômago com uma barra de metal depois dos agentes abandonarem o local.

A vítima acabou por escapar num dia em que a porta de casa estava destrancada. "Eu lembro-me de pensar, ou vou agora ou nunca mais conseguirei fugir", referiu.

Thomas foi condenado a 10 anos de prisão pelo tribunal de Cardiff. Desde que conheceu a sentença, Charlotte moveu várias ações para tentar perceber a razão de não ter sido salva mais cedo.

"Nem uma pessoa perdeu o emprego depois do que me aconteceu", afirmou a vítima revoltada.

Charlotte Rooks Reino Unido Craig Thomas Cardiff Violência Doméstica Crime Terror
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)