Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Alemanha condena tomada do poder no Burkina Faso

Governo de Merkel apela a que o poder seja devolvido às autoridades constitucionais.
2 de Novembro de 2014 às 14:21
Alemanha exorta todas as partes a agirem com prudência e "responsabilidade política"
Alemanha exorta todas as partes a agirem com prudência e 'responsabilidade política' FOTO: Joe Penney/Reuters

A Alemanha condenou este domingo a tomada do poder no Burkina Faso pelos militares, instando-os a que o devolvam às autoridades constitucionais, e aconselhou os cidadãos alemães a que evitem viajar para o país africano.

Num comunicado divulgado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Governo de Angela Merkel exorta todas as partes a agirem com prudência e "responsabilidade política".

E apoia os esforços da União Africana para procurar uma solução rápida para a crise política, e para que se possa regressar o mais rápido possível à legalidade constitucional.

Perante a instabilidade no país, o Governo alemão aconselha os cidadãos nacionais a não viajarem para o Burkina Faso se não for absolutamente necessário e a evitarem especialmente a capital, Ouagadougou.

O Exército do Burkina Faso nomeou no sábado como Presidente o tenente-coronel Isaac Yacouba Zida, depois da saída do poder de Blaise Compaoré, que renunciou após 27 anos como chefe do Estado devido a protestos em massa.

A escolha dos militares já foi contestada e a oposição e a sociedade civil apelaram para um protesto da população, a decorrer hoje. Numa marcha na capital os participantes exigiram a entrega do poder para o povo.

Alemanha Burkina Faso Ministério dos Negócios Estrangeiros Governo de Angela Merkel
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)