Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Autor de explosão em Bruxelas era simpatizante do Daesh

Autoridades encontraram material explosivo na casa do suspeito abatido esta terça-feira.
20 de Junho de 2017 às 20:24
Estação de Bruxelas evacuada esta terça-feira
Estação central de Bruxelas foi evacuada
Aparato policial em Bruxelas
Estação de Bruxelas evacuada esta terça-feira
Estação central de Bruxelas foi evacuada
Aparato policial em Bruxelas
Estação de Bruxelas evacuada esta terça-feira
Estação central de Bruxelas foi evacuada
Aparato policial em Bruxelas

O presumível autor de um "ataque terrorista" na noite de terça-feira na Gare Central de Bruxelas foi identificado. Trata-se de um cidadão marroquino de 36 anos, simpatizante do Daesh.

A informação foi avançada por diversos meios de comunicação social belgas e confirmada esta quarta-feira pelo porta-voz da procuradoria federal, Eric Van Der Sypt. Em conferência de imprensa, Sypt garantiu que as iniciais do nome do homem eram O.Z. e que este morava na zona de Molenbeek. 

O porta-voz retificou a informação avançada esta terça-feira, garantindo que o homem não tinha um cinto de explosivos. Adiantou, no entanto, que este terá sido abatido após ter gritado "Allahu Akbar" (Deus é grande).

A sua habitação já foi revistada pelas autoridades, que encontraram no local material explosivo. 

Mala que explodiu em Bruxelas tinha latas de gás e pregos
A mala que explodiu parcialmente na Gare Central de Bruxelas continha pregos e latas de gás, tendo o suspeito tentado atacar um militar gritando "Allahu akbar" (Alá é grande), anunciou a Procuradoria Federal belga.

"É claro que queria causar muitos mais danos. A mala explodiu duas vezes, a segunda com mais violência, mas podia ter sido muito pior", sublinhou.

A mala que explodiu continha latas de gás e pregos e o suspeito tentou atacar militares enquanto gritava "Allahu akbar", tendo sido alvejado mortalmente.

As autoridades mantêm o nível de alerta de ameaça terrorista em 3, numa escala de 4, tendo o centro de crise decidido adaptar as medidas de segurança nas estações de comboio, no metro e em eventos, como o concerto dos Coldplay, hoje à noite.

O primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, disse já hoje que o país "não se vai deixar intimidar pelos terroristas", sublinhando que a operação de terça-feira na estação ferroviária de Bruxelas evitou consequências mais graves.

Bruxelas está em estado de alerta desde março de 2016, depois de bombistas suicidas terem matado 32 pessoas numa estação de metro e no aeroporto da capital belga.




Nas redes sociais, foram partilhadas imagens do aparato policial que se verificou nesta zona da capital da Bélgica. 




Bruxelas Bélgica economia negócios e finanças macroeconomia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)