Marcelo e Costa participam em missa pela paz em Barcelona

Subiu para 15 o número de mortos dos ataques na Catalunha. Há 135 feridos.
15 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas num duplo ataque na Catalunha, perpretado em Barcelona e Cambrils.

As primeiras 13 vítimas perderam a vida num atropelamento na tarde desta quinta-feira por uma carrinha branca nas Ramblas, junto à Praça da Catalunha, em Barcelona, Espanha.

Após o ataque terrorista, reivindicado pelo Daesh, foi realizada uma operação policial em Cambrils (a 120 km de Barcelona), na sequência de outro atentado.

Foi registada troca de tiros e as autoridades catalãs confirmaram que os cinco terroristas foram mortos a tiro.

Os suspeitos tentaram atropelar várias pessoas com um carro, tendo ferido seis civis e um polícia. Uma das vítimas, do sexo feminino, acabou por morrer no hospital, esta sexta-feira.

--

18h05 - A polícia encontrou a mota de Younes Abouyaaqoub, o único membro da célula terrorista que atacou Barcelona que ainda se encontra em fuga, avança o jornal La Vanguardia. O veículo, da marca Honda, estava estacionado a apenas dez metros da casa de Moussa Oukabir, um dos terroristas abatidos em Cambrils.

12h35 - 
A célula terrorista responsável pelos atentados em Espanha preparava "um ou vários atentados" bombistas em Barcelona com 120 botijas de gás encontradas numa casa em Alcanar, 200 quilómetros a sudoeste da capital catalã, anunciou este domingo a polícia.

"Começamos a ver claramente que era o local onde estavam a preparar os explosivos para cometer um ou vários atentados na cidade de Barcelona", declarou o chefe da polícia da Catalunha, Josep Lluis Trapero.

11h19 - Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa visitam o local do atentado em Barcelona. São visíveis várias homenagens espalhadas pelas Ramblas.

10h02 - O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, António Costa, estão a participar na missa pela paz e concórdia que presta homenagem às vítimas dos atentados terroristas de Espanha.
Marcelo e António Costa participam em missa pela paz em Barcelona

Ao chegar ao local, o chefe de Estado português cumprimentou os reis de Espanha, Felipe VI e Leticia, o chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, o primeiro-ministro português, António Costa, que chegara momentos antes, e o presidente do governo da Catalunha, Carles Puigdemon.

09h51 - A polícia espanhola começou esta madrugada uma grande operação policial em Ripoll (Girona) e em Manlleu (Barcelona) para encontrar Younes Abouyaaqoub, um dos terroristas que fugiu no atentado.

08h09 - O Presidente da República viajou no sábado à noite para Barcelona para participar numa missa pela paz, na basílica da Sagrada Família, onde irão também estar presentes os primeiros-ministros português e espanhol e os reis de Espanha.

Segundo disse à Lusa fonte da Presidência, a presença do chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, na homília representa uma homenagem às vítimas do atentado de quinta-feira em Barcelona, em particular às duas portuguesas que morreram.

Marcelo Rebelo de Sousa foi convidado pelo rei de Espanha, Felipe VI, a estar presente nesta missa pela paz e a concórdia.

Sábado
23h17 - O Primeiro-Ministro, António Costa, participa no domingo numa missa pela paz e a concórdia, na basílica da Sagrada Família, em Barcelona, à qual assistem o seu homólogo espanhol, Mariano Rajoy e os reis de Espanha.

19h21 - O Imã de mesquita de Ripoll pode ser o cérebro dos atentados da Catalunha. A polícia catalã suspeita que Abdelbaki Es Satty tenha morrido na casa de Alcanar que explodiu antes dos ataques de quinta-feira, mas ainda não há confirmação oficial. De acordo com a imprensa espanhola, supõe-se que este homem, um marroquino com cerca de 40 anos, fosse o líder intelectual dos atentados de Barcelona e Cambrils.

Abdelbaki Es Satty era desde 2015 o imã da pequena mesquita de Ripoll, em Girona. Três dos suspeitos dos atentados de Barcelona são dessa cidade: os irmãos Moussa Oukabirm, Mohammed Hychami e Younes Abouyaaqoub.

19h16 -  Taxistas de Barcelona buzinaram Rambla abaixo e recebem aplauso da multidão. "Quisemos fazer uma homenagem às vítimas e a todos os corpos de emergência, a todos os cidadãos que atuaram solidariamente, que são anónimos e que ajudaram as vítimas", disse à Lusa o porta-voz do coletivo Elite Taxis, Alberto Alvarez.

Com a voz elevada para se sobrepor ao enorme buzinão, Marta, barcelonesa de 49 anos, explicava porque aplaudia efusivamente.

"Durante o atentado, os taxistas estiveram a ajudar, a levar as pessoas sem cobrar. Hoje a cidade faz-lhes um agradecimento", explicava a educadora social.

Ao longo de toda a Rambla, os táxis sucediam-se, num buzinão constante, braços de fora das janelas, a acenar, e a população que circulava no centro pedonal da via ia-se aproximando para aplaudir.

Junto ao local onde terminou o atentado de quinta-feira, que matou 13 pessoas, o taxista marroquino Mohamed Ketrani, de 54 anos, explicava que tinha aderido à iniciativa "para apoiar as pessoas, para que se animem", porque acredita que é preciso seguir em frente.

O porta-voz Alberto Alvarez, que estimou em 1.500 a 2.000 os táxis participantes, concorda: "Os terroristas o que querem é que tenhamos medo, que estejamos sempre com isso na cabeça. Nós dissemos que não. Deixámos passar um tempo prudencial para fazer este ato e agora é seguir a vida normal".

15h12 - Os rei de Espanha está a visitar as vítimas dos atentados nos hospitais de Barcelona.

12h35 - A célula dos 12 autores dos atentados de Barcelona e Cambrils, na Catalunha, está agora "desmantelada", afirmou este sábado o ministro do Interior espanhol, enquanto um homem, Younès Abouyaaqoub, é ativamente procurado pela polícia.

O grupo foi "desmantelado", declarou Juan Ignacio Zoido, em conferência de imprensa.

Neste momento, quatro suspeitos estão sob custódia policial, cinco foram abatidos a tiro em Cambrils e outros três foram identificados: dois que poderão ter morrido na explosão de Alcanar, ocorrida na quarta-feira, e o terceiro é Younès Abouyaaqoub.

12h34 - A presidente da Câmara de Barcelona defendeu hoje que não seria possível evitar um atentado como o de quinta-feira, porque se houvesse barreiras no acesso norte às Ramblas, os terroristas teriam conseguido entrar por outro lado.

12h11 - O Governo português pediu este sábado ajuda às autoridades catalãs para agilizar o processo que permita a transladação dos corpos das duas vítimas mortais portuguesas do atentado de quinta-feira, disse o secretário de Estado das Comunidades.

11h47 - Daesh reivindicou ataque em Cambrils

11h04
- António Costa confirmou a morte da segunda portuguesa em Barcelona. Vítima tinha 20 anos e estava com a avó nas Ramblas.

08h45 - A polícia informou que vai fazer explosões controladas em Alcanar. O alerta foi dado no Twitter para que as pessoas não se assustem.




08h00 - Homenagens na praça da Catalunha. Centenas de pessoas dirigem-se ao local do atentado para deixar uma vela ou uma flor pelas vítimas do ataque.

Sexta-feira
01h10 - As autoridades catalãs desmentem que o último dos quatro suspeitos da autoria dos ataques na catalunha tenha sido abatido. Younes Abouyaaqoub, de 22 anos, ainda estará em fuga e agora a investigação acredita que foi ele o condutor da carrinha que atropelou dezenas de pessoas nas Ramblas.

00h00 - Está em curso uma grande operação polícial, na tentativa de descobrir mais terroristas que pertencam ao mesmo grupo que preparou o ataque em Barcelona e Cambrils, para que a célula 'jihadista' seja totalmente desmantelada.

23h10 - O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, parte sábado de manhã para Barcelona, para se encontrar com a família da portuguesa morta no ataque terrorista de quinta-feira, naquela cidade, disse hoje fonte oficial.

O secretário de Estado vai encontrar-se com os familiares da vítima mortal, uma mulher de 74 anos, que residia na área da Grande Lisboa, manifestar a sua solidariedade e apoiar nas diligências a efetuar, segundo a mesma fonte.

23h05Em entrevista à Europa Press, o líder da polícia catalã, Josep Lluís Trapero, afirmou que a hipótese de Moussa Oukabir ter sido o condutor da carrinha "tem cada vez menos peso".

23h00O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, mostrou solidariedade com as vítimas do atentado de Barcelona e sublinhou que foi "com grande tristeza" que tomou conhecimento da morte de um canadiano e de quatro canadianos feridos.

22h48 - Os corpos de três jovens marroquinos mortos pela polícia após o ataque terrorista de quinta-feira em Cambrils, no nordeste de Espanha, e alegados terroristas, foram formalmente identificados, anunciou a polícia catalã.

Trata-se de Moussa Oukabir, Saïd Aallaa e Mohamed Hychami, com 17, 18 e 24 anos, respetivamente, todos habitantes de Ripoll, no norte da região catalã, segundo a polícia.

Um quarto suspeito de ter perpetrado o atentado na estância balnear, Younès Abouyaaqoub, de 22 anos, continua em fuga. 

22h26 - As Ramblas de Barcelona anoiteceram hoje a meio gás, com menos gente, menos barulho, mas com uma enorme concentração em torno do mosaico de Joan Miró, completamente coberto de velas, mensagens e todo o tipo de objetos.

21h26 - Jovem portuguesa desaparecida não foi encontrada entre os feridos. Segundo o secretário de Estado, "tudo leva a crer que a jovem esteja entre as vítimas mortais".

21h15 - Há informação contraditória quanto ao paradeiro Houssaine Abouyaaqoub. Há jornais que avançam que foi abatido pela polícia e outros que permanece em fuga.

21h12Portugal está "unido pela dor desta família" disse Marcelo Rebelo de Sousa, na declaração pública que fez esta noite ao país, a partir de Almancil, no Algarve. O Presidente da República prestou assim a sua solidariedade à família da idosa portuguesa que morreu no ataque de Barcelona e à neta que que continua ainda desaparecida.

20h47 - De acordo com a Europapress estes são os suspeitos dos atentados na Catalunha abatidos pela polícia: Omar Hychami, de 21 anos,  nascido em Marrocos, El Houssaine Abouyaaqoub, marroquino de 19 anos, Said Aallaa, marroquino de 19 anos, Mohamed Hychami, nascido em Marrocos, de 24 anos e Moussa Oukabir, marroquino de 17 anos.

20h40Os pais da jovem portuguesa dada como desaparecida em Barcelona, na quinta-feira, foram chamados pelas autoridades espanholas para verificarem a identidade de uma das vítimas no Instituto Forense, disse hoje à Lusa o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

20h38As autoridades espanholas pediram ajuda à polícia francesa para encontrar uma carrinha Renault Kangoo branca, que terá sido alugada pelos suspeitos Mohamed Hychami e Younes Aboyaaqoub para os atentados na Catalunha. O veículo poderá atravessar a fronteira de Espanha para França.

20h00 - Uma manifestação de extrema-direita e uma contramanifestação antifascista no local onde quinta-feira terminou o atentado terrorista de Barcelona obrigou hoje à intervenção da polícia antimotim.

19h43 - De acordo com o El País, os Mossos d'Esquadra encontraram, na casa de Alcanar, explosivos semelhantes aos utilizados em outros atentados do Daesh. Esta descoberta fundamenta a suspeita de que os terroristas preparavam um ataque ainda maior.

19h40Younes Abouyaaqoub, de 22 anos, (na foto abaixo) é o único suspeito que continua em fuga.




















19h30 - Imprensa internacional avança que nove dos 15 mortos dos ataques em Barcelona e Cambrils já foram identificados. 

19h20 - A equipa de futebol do Barcelona vai homenagear as vítimas do atentado, levando o nome da cidade espanhola nas camisolas em vez do nome dos jogadores.




19h15 - Vídeo de câmara de vigilância mostra momento do ataque.



19h05 - Afinal, Moussa Oukabir foi mesmo abatido em Cambrils esta madrugada. E com ele mais dois dos quatros suspeitos que as autoridades espanholas procuravam depois do atentado desta quinta-feira: Sais Aallaa e Mohamed Hycham. Apenas Younes Abouyaaqoub continua em fuga. A polícia confirma ainda que o condutor da carrinha utilizada para o atentado de Barcelona foi abatido, mas não confirma que este seja Moussa Oukabir.

18h33 - Membros da extrema-direta manifestam-se nas Ramblas.




18h30 - Três pessoas foram detidas nas últimas horas, avança a ABC. As detenções aconteceram durante a identificação da casa de Sahid Alla, em Ripoll, um dos quatro suspeitos procurados pelas autoridades espanholas.

18h00 - A polícia da Catalunha publicou uma mensagem noTwitter garantindo que continua à procura do condutor da carrinha utilizada no atentado desta quinta-feira. Esta informação contradiz o que a imprensa espanhola tinha divulgado há poucos minutos. Afinal,MoussaOukabir, o presumível condutor do veículo, pode não ter sido um dos suspeitos abatidos em Cambrils.


17h50 - Número de mortos sobe para 15.

17h34Jean-Yves Le Drian, ministro dos Negócios Estrangeiros francês, confirmou que ficaram feridos 28 cidadãos franceses, no ataque de Barcelona. Oito destes 28 estão em estado grave.

17h20 - De acordo com o El País, o condutor da carrinha utilizada no atentado de Barcelona foi abatido esta madrugada em Cambrils.

16h57A rádio espanhola Cadena Ser diz que as autoridades encontraram outro corpo nos escombros da casa que explodiu em Alcanar, Tarragona na quarta-feira.




16h40 - A polícia espanhola procura quatro jovens, entre os 17 e os 24, suspeitos de estarem ligados aos atentados que aconteceram em Espanha. Os suspeitos são de origem marroquina e residentes em Ripoll e Ribes de Freser. De acordo com o El País, entre estes está Moussa Oukabir, irmão de um dos suspeitos já detidos. As autoridades acreditam que Moussa pode ser o condutor da carrinha utilizada no atentado de quinta-feira.

16h35 - Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, faz declaração pelas 20h30 sobre atentados.

15h57 - Os autores dos ataques de quinta-feira e hoje em Barcelona e Cambrils, que mataram 14 pessoas e feriram 140, formavam um grupo e preparavam há algum tempo pelo menos um grande atentado, disse hoje a polícia da Catalunha.

Josep Lluis Trapero, porta-voz da corporação, disse que a polícia crê que os dois atentados terroristas estão relacionados com uma explosão numa casa na cidade de Alcanar na passada quarta-feira, na qual morreu uma pessoa.

"A hipótese estudada atualmente pela polícia" é que "se preparava há algum tempo um ou mais atentados relacionados com aquela casa de Alcanar por uma parte do grupo, do qual será necessário determinar o número de pessoas", adiantou.

Na explosão em Alcanar, a 200 quilómetros a sul de Barcelona, terá ficado ferido um dos suspeitos agora detidos e que está relacionado com os dois ataques.

15h48 - 61 feridos já receberam alta.

15h30 - A polícia da Catalunha está a investigar se o condutor da carrinha que atropelou mortalmente 13 pessoas e feriu outras 135 em Barcelona, na quinta-feira, está entre os cinco suspeitos já abatidos na cidade costeira de Cambrils.

Em declarações aos jornalistas, o comissário chefe dos Mossos d'Esquadra (corpo de polícia da Catalunha), Josep Lluís Trapero, confirmou que, até ao momento, o condutor da furgoneta que galgou Las Ramblas, a avenida mais movimentada em Barcelona, ainda não foi identificado.

Momentos antes, fontes de investigação adiantaram à agência espanhola EFE que o presumível autor do ataque podia ter conseguido roubar um automóvel, depois de matar o seu condutor, e, em fuga, ter passado uma barreira policial montada em Barcelona, ferindo uma agente.

15h13 - O governo norte-americano confirmou que uma das vítimas mortais em Barcelona é norte-americana.

14h23 - Os autores dos atentados de Barcelona e Cambrils, que provocaram pelo menos 14 mortos e 135 feridos, estavam a preparar uma ação de "grande envergadura", afirmou hoje em conferência de imprensa o porta-voz da polícia catalã.

"Eles estavam a preparar um ou vários atentados. A explosão de Alcanar permitiu evitar (...) atentados de grande envergadura", disse Josep Lluis Trapero, aludindo à explosão de uma casa, na quarta-feira, que provocou um morto.

13h53 - A mesma fonte diz que três dos detidos são de Marrocos, enquanto um quarto suspeito é espanhol.

13h49 - Fonte policial, citada pela agência Reuters, adianta que os ataques que aconteceu nas últimas horas na Catalunha já estavam a ser preparados há algum tempo a partir de Alcanar, a sul de Barcelona. A explosão que abalou aquela zona terá precipitado o ataque, prevenindo um atentado de maior escala.

13h41 - O líder da extrema-direita holandesa, Geert Wilders, comentou hoje os atentados na Catalunha afirmando que o mundo está "em guerra" com o Islão e pedindo um debate parlamentar para adotar medidas para "prevenir a islamização" da Holanda.

"É de grande importância debater as consequências disto para a segurança dos cidadãos e a sociedade holandesa o mais rapidamente possível e tomar medidas para impedir a islamização da Holanda e prevenir ataques terroristas islamitas", disse Geert Wilders, líder do Partido da Liberdade (PVV).

O político insistiu na presença do primeiro-ministro, Mark Rutte, nesse debate e defendeu que as férias parlamentares sejam encurtadas para que ele se realize rapidamente.

"Estamos em guerra. O Islão declarou-nos guerra e a esquerda está a apoiá-lo", disse.

13h32 - O número de feridos nos ataques registados na quinta-feira em Barcelona e Cambrils, na região espanhola da Catalunha, subiu para 135, dos quais 15 em estado grave.

12h53 - A polícia espanhola deteve um quarto suspeito dos ataques, esta sexta-feira. Desconhece-se, para já, se este quarto detido se trata ou não do condutor da carrinha usada em Barcelona, que continuava a monte.

12h50 - Há um novo balanço dos feridos na Catalunha. São agora 130 os feridos de ambos os ataques.

12h39 - Milhares de pessoas estiveram hoje mais de 10 minutos concentradas na praça da Catalunha, no centro de Barcelona, a gritar 'não tenho medo' em catalão e a bater palmas após o minuto de silêncio em homenagem as vitimas do atentado de quinta-feira.

Sob um sol abrasador e após um minuto em silêncio absoluto, apenas interrompido pelo som das asas dos pombos que sobrevoavam a zona, milhares de pessoas manifestaram assim a sua solidariedade e a sua determinação em não deixar que o atentado mude a sua forma de viver.

"Não teremos medo, façam o que fizerem. Assim se mostra que não poderão connosco. Eles são poucos comparados connosco", disse à Lusa António Gomez, um catalão de 51 anos que empunhava um cartaz a garantir que o medo não vencerá.

Para o ativista, que diz lutar contra as injustiças como 'hobbie', Barcelona não se deixará abater pelo medo.

"Barcelona é forte. Hoje está triste, mas amanhã estará alegre".

12h33 - Marcelo Rebelo de Sousa falou em exclusivo à CMTV e lamentou a perda de uma compatriota no atentado nas Ramblas. 

O Presidente da República enviou "as mais sinceras condolências" à família da vítima portuguesa e reiterou a "condenação total deste ignóbil ato e do terrorismo", hoje "de forma mais sentida e dolorosa pela perda de uma portuguesa", "no meio de tantas vítimas, de tantas nacionalidades". 

12h31 - As vítimas e os feridos dos atentados desta quinta-feira são de pelo menos 34 nacionalidades, confirma a Direção Geral de Proteção Civil. Portugal, no entanto, não figura nesta lista, apesar da confirmação de pelo menos uma vítima mortal portuguesa.

 

12h15 - António Costa, numa declaração ao país, confirmou que a vítima mortal portuguesa e a mulher portuguesa desaparecida em Barcelona viajavam juntas e eram familiares, não adiantando qual o grau de parentesco entre as duas. 

"Já enviamos as nossas condolências à família", adiantou o primeiro-ministro, que assegurou que todos os esforços estão a ser feitos "para procurar localizar a familiar que acompanhava" a mulher de 74 anos.  

"Isto só confirma que o terrorismo é uma ameaça global", lamenta António Costa.

12h04 - Sobe para 14 o número de vítimas mortais do duplo atentado na Catalunha, com a morte de uma mulher, um dos feridos graves resultantes do ataque em Cambrils. É, até ao momento, a única vítima mortal deste segundo ataque.

11h51 - Há uma vítima mortal portuguesa. Trata-se de uma mulher de 74 anos, residente em Lisboa. 

11h00 - Foi cumprido um minuto de silêncio em Barcelona, com a presença do Rei de Espanha e de Mariano Raroy. Milhares de pessoas prestaram homenagem às vítimas na zona das Ramblas, batendo palmas no final.

Veja a fotogaleria aqui. 

10h57 - O Ministério do Interior espanhol pediu hoje a colaboração dos cidadãos, através do telefone e da Internet, para obter informações sobre os atentados na Catalunha, sublinhando a necessidade de serem "mais fortes que nunca".

"Colabora com quem nos protege e luta contra o terror", indica a mensagem do ministério divulgada na rede social Twitter, que acrescenta o número de telefone 900822066 e o endereço eletrónico stop-radicalismo@interior.es.

Os cidadãos devem ser agora "mais fortes que nunca" e a sua informação "é muito importante", adianta a mensagem.

"Não é a primeira vez que o terrorismo nos dilacera, nem será a primeira vez que o venceremos. Não conseguirão derrubar os nossos valores", indicam outras das mensagens também divulgadas pelo Ministério do Interior no Twitter.

09h57Foi confirmada, esta sexta-feira, a identidade do suspeito do atropelamento que matou 13 pessoas e feriu dezenas nas Ramblas, em Barcelona. Segundo fontes policiais, citadas por diversos jornais espanhóis, Moussa Oukabir, de 17 anos, irmão de Driss, foi morto pela polícia.

09h25 - O secretário de Estados das Comunidades diz que não tem indicação de haver quaisquer vítimas de nacionalidade portuguesa no atentado em Espanha. No entanto, recomenda aos viajantes portugueses no estrangeiro o uso da aplicação "Registo Viajante" e pede que evitem os locais de grande concentração populacional, na sequência dos atentados como o da Catalunha.

"Eu recomendo aos portugueses que estão em viagem - em turismo ou em trabalho - a utilização da aplicação 'Registo Viajante'. É uma aplicação móvel gratuita que permite termos uma base de dados dos portugueses que estão em movimento. São portugueses que habitualmente não se registam em postos consulares, porque estão nos países de uma forma muito temporária", disse à Lusa o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

08h45 - A vice-presidente do Governo espanhol, Soraya Saénz de Santamaría, reúne-se hoje com o ministro do Interior, com o delegado do Governo na Catalunha, e com responsáveis das Forças de Segurança, após os atentados nas Ramblas e em Cambrils.

08h39
- As autoridades que estão a investigar o duplo atentado na Catalunha acreditam que os responsáveis pelos ataques faziam parte de uma célula terrorista composta por oito pessoas. O grupo estaria a planear um ataque com botijas de gás.

08h18
- Cinco pessoas permanecem hoje hospitalizadas em Tarragona, no nordeste de Espanha, na sequência do ataque na localidade catalã de Cambrils, informou a Proteção Civil local.

Uma das vítimas encontra-se em estado crítico, duas apresentam ferimentos graves e dois são feridos ligeiros, acrescentou.

Os cinco feridos estão internados nos centos hospitalares de Joan XXIII, Sant Joan de Reus e Santa Tecla, segundo a Proteção Civil.

08h13 - As 13 vítimas mortais do atentado de quinta-feira nas Ramblas de Barcelona, em Espanha, foram transportadas para o Instituto de Medicina Legal, na Cidade da Justiça, onde serão feitos os exames forenses para determinar a sua identidade.

Fontes da Proteção Civil informaram que, atualmente, apenas uma vítima foi oficialmente identificada, de origem belga.

Além dos resultados dos testes forenses, o Instituto de Medicina Legal espera esta manhã a chegada dos familiares das vítimas para avançar com a identificação dos cadáveres.

08h12 - Os cinturões que os cinco alegados terroristas abatidos hoje em Cambrils (Tarragona) simulavam cargas explosivas falsas, disseram à Efe fontes policiais espanholas da Catalunha.

07h54 - As autoridades espanholas adiantam que uma terceira pessoa foi detida esta sexta-feira por suspeita de envolvimento no atentado de ontem em Barcelona. No Twitter, a polícia diz que o terceiro suspeito foi detido em Ripoll.

07h50 - A polícia da Catalunha, a Cruz Vermelha e a Proteção Civil reservaram hoje dois espaços no aeroporto de Barcelona para receberem os familiares afetados pelo atentado de quinta-feira no centro da capital catalã.

06h48 - O governo de França já confirmou a existência de vítimas francesas no atentado. Numa declaração pública, o ministro dos negócios estrangeiros daquele país adiantou que existem 26 franceses entre os feridos, onze dos quais se encontram em estado grave.

06h33 - O Governo regional da Catalunha declarou que o ataque na estância balnear de Cambrils está ligado ao de Barcelona, que matou 13 pessoas na quinta-feira.

O conselheiro de Interior do Governo regional catalão, Joaquin Forn, disse à rádio RAC1 que o ataque de Cambrils "segue o mesmo método, há uma ligação", em relação ao de Barcelona (nordeste de Espanha).

O governante não explicou o que relacionava os ataques, e confirmou que o condutor da carrinha no ataque de Barcelona continua a monte. A polícia já tinha indicado que nenhuma das duas pessoas detidas era o condutor.

Quinta-feira
04h30 - Reforço policial em Cambrils. Autoridades anunciam a detenção de um suspeito na localidade.

04h00 -
A AFP avança que dois dos civis abalroados pelo Audi em Cambrils estão em estado grave.

03h30
- Autoridades confirmam que o quinto terrorista de Cambrils, que estava ferido, morreu.

03h15 - Um porta-voz do governo regional da Catalunha explica que "os terroristas abatidos criculavam num Audi A3 e abalroaram várias pessoas, até que deram de caras com uma patrulha dos Mossos d'Esquadra, altura em que se iniciou o tiroteio".

03h05 -
Último balanço dos feridos am Cambrils dá conta de sete feridos, um com gravidade. Entre os feridos leves está um polícia, confirmam as autoridades catalãs. Todos foram encaminhados para o hospital.

02h30 -
Polícia catalã informa no Twitter que vai fazer explosões controladas em Cambrils.

02h01
- Autoridades catalãs dizem que a situação em Cambrils "está controlada" e confirmam a ligação deste ataque ao atentado de Barcelona e à explosão registada em Alcanar na quarta-feira.

01h44
- Imagens que circulam nas redes sociais mostram os terroristas abatidos em Cambrils no chão, com explosivos presos ao corpo.





01h20 - Imprensa local afirma que seriam cinco terroristas, tendo um deles ficado ferido com gravidade no tiroteio com a polícia em Cambrils. Os atacantes terão usado um BMW para atropelar várias pessoas. Pelo menos sete civis terão ficado feridos, mas não há registo de mortes.




01h10 - Fontes policiais confirmam que quatro terroristas foram mortos em Cambrils. Os quatro suspeitos teriam na sua posse explosivos e tentaram um ataque semelhante ao de Barcelona.

01h00 - Autoridades catalãs confirmam estar a responder a um "possível ataque terrorista" em Cambrils, adiantando que os suspeitos foram abatidos.




00h50 - Na operação policial em Cambrils foi registada uma troca de tiros. O canal 24 horas dá conta de que quatro pessoas foram atingidas.

00h38 - Está em curso uma operação policial em Cambrils, nos arredores de Barcelona. A informação foi dada pela policia catalã no Twiiter. As autoridades pedem às pessoas para evitarem sair à rua.




00h19  - O Departamento de Polícia de Nova Iorque (NYPD) aumentou esta quinta-feira a segurança na cidade, como reflexo do ataque terrorista em Barcelona, que causou a morte a pelo menos 13 mortos e mais de 100 feridos.

23h46 - O presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, apelou esta quinta-feira à unidade institucional, mostrando-se convicto de que juntos vencerão mais uma vez o terrorismo e deixando claro que toda a Espanha está comovida com o atentado de Barcelona.

Rajoy fez este apelo à união durante uma declaração institucional na delegação do Governo na Catalunha, depois de se ter deslocado a Barcelona, desde a Galiza, para se inteirar dos detalhes do atentado terrorista.

O chefe do Governo quis que as suas primeiras palavras públicas fossem de lamento pelo ocorrido e de solidariedade para com as vítimas e as suas famílias, que neste momento são "a prioridade" do Governo.

Entretanto, Governo espanhol declarou três dias de luto nacional pelo ataque em Barcelona, a partir de hoje até 20 de agosto, durante a qual a bandeira nacional espanhola deverá ser içada a meia haste em todos os organismos oficiais e em todos os navios da Marinha.

23h07 - O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luis Carneiro, disse hoje à Lusa que não há portugueses entre as vítimas do atentado de Barcelona. "Não há portugueses entre os 100 feridos e já foram identificadas quatro das 13 vitimas mortais. Uma é belga e outras três alemãs", disse José Luis Carneiro esta noite à agência Lusa.

22h55 - Circulação normalizada no centro de Barcelona. Já há pessoas a circular nas Ramblas.

22h37Pedro Sánchez, secretário-geral do PSOE, e Pablo Iglesias, líder do Podemos, deslocam-se esta sexta-feira até Barcelona.

22h35 - Ofertas de ajuda à comunidade multiplicam-se em página que Facebook criou para o efeito. Saiba tudo aqui

22h20 - Segundo a ZDF, estação de TV estatal alemã, há três cidadãos alemães entre as vítimas mortais. Imprensa espanhola avança que há também gregos e belgas entre os mortos no atentado.

22h19 - A Torre Eiffel vai ficar às escuras esta quinta-feira à noite em homenagem às vítimas do atentado terrorista de Barcelona, no qual morreram 13 pessoas, anunciou a presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo.




Na sua conta da rede social Twitter, Hidalgo escreveu que "Paris vai apagar Eiffel a partir das 00:45 desta noite em homenagem às vítimas do atentado de Barcelona".

22h11 - O homem abatido pela polícia por ter ferido um polícia com o veículo é espanhol e não tem antecedentes criminais. Até ao momento, não há provas que esteja relacionado com o atentado terrorista.

22h10 - Nenhum dos dois detidos era o condutor da carrinha, mas a polícia acredita estarem relacionados com o ataque. Um dos detidos é natural de Melilla, em África, e outro é marroquino. Um foi preso em Alcanar, na Catalunha, e outro em Ripoll, em Girona. Principal suspeito continua em fuga.

22h04Uma explosão que aconteceu na noite quarta-feira na Catalunha, que provocou a destruição de um edifício poderá estar relacionada com o atentado de Barcelona, informa o responsável pela Polícia da Catalunha. Uma pessoa morreu e outras sete ficaram feridas.

22h00Presidente da República condena "atentado ignóbil".

21h58 - Governo da Catalunha decreta três dias de luto oficial.

21h57O centro de Barcelona vai ser reaberto dentro de uma hora.

21h56 - Protecção Civil da Catalunha faz tweet com detalhes sobre vítimas e para que hospitais foram os feridos. 


21h53Ministério do Interior regional diz que há mais de uma centena de pessoas feridas.

21h52A polícia catalã pediu, através do Twitter, para as pessoas não publicarem fotografias da operação policial.

21h45 - De acordo com o El País, a polícia está a revistar uma casa nos arredores de Ripoll (Girona), onde poderá morar a família de um dos suspeitos.

21h41 - António Costa disse esta quinta-feira que até agora não existe "nenhum indicador" que justifique alteração do "nível de risco" em Portugal depois do ataque em Barcelona e adiantou que o Governo não tem conhecimento de portugueses entre as vítimas.

21h40 - Balanço feito pelos serviços de emergência: 13 mortos, 15 feridos graves, 23 menos graves e 42 leves.

21h31O Presidente russo, Vladimir Putin, condenou esta quinta-feira, em mensagem ao rei de Espanha, o "cruel atentado" em Barcelona, que fez pelo menos 13 mortos e 80 feridos, pedindo em simultâneo à comunidade internacional unidade contra o terrorismo.  

21h14 - Primeira vítima identificada do atentado de Barcelona é belga.

21h00 - De acordo com La Vanguardia, um homem entregou-se às autoridades afirmando ser Driss Oukabir e garantindo que lhe roubaram os documentos. O homem garantiu que no momento do ataque estava em Ripoll, onde mora. O mesmo jornal avança que a polícia suspeita agora que o irmão mais novo de Driss, Moussa Oukabir, de 18 anos, e residente em Barcelona, terá roubado os documentos e poderá estar envolvido no atentado.

20h48 - O ministro do Interior italiano, Marco Minniti, convocou para sexta-feira de manhã uma reunião antiterrorista extraordinária em Roma, após o atentado que hoje fez pelo menos 13 mortos e 80 feridos em Barcelona, nordeste de Espanha. 

20h30 - Daesh reinvindica atentado que matou 13 pessoas em Barcelona.

20h29 - O Governo português "repudia e condena veementemente o atentado ocorrido esta quinta-feira em Barcelona", num comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

20h27Papa Francisco reza pelas vítimas de atentado de Barcelona.

20h23A presidente da Câmara de Barcelona anunciou que se fará um minuto de silêncio em frente à Câmara Municipal de Barcelona esta sexta-feira às 12h00 locais, 11h00 em Lisboa.

20h22 - A Polícia de Segurança Pública portuguesa publicou nas Redes Sociais um conjunto de medidas a cumprir em caso de atentado terrorista. Veja aqui

20h10Carles Puigdemont confirma que há 80 feridos, 15 deles em estado grave. O Presidente do Governo Regional da Catalunha informou também que foram detidas duas pessoas após o atentado.

20h05
- Driss Oukadir já tinha ficha policial, avança o El País.

20h00Governo português em contacto com consulado, ainda sem informação de vítimas portuguesas.

19H56 - Driss Oukabir, o suspeito do atentado terrorista, desta quinta-feira, detido pelas autoridades, partilhou em maio nas redes sociais um vídeo antissemita sobre uma conspiração mundial judaica para dominar o mundo. A conta de Facebook de Oukabir foi desativada esta quinta-feira pouco depois das 19h00 em Portugal continental.

19h55 -MarianoRajoy já reagiu ao atentado nas Redes Sociais.

"Os terroristas nunca irão derrotar um povo unido que ama a liberdade em detrimento da barbárie. Toda a Espanha está com as vítimas e as famílias", lê-se no tweet do Presidente do Governo espanhol.

Veja o trajeto da carrinha no ataque:



19h46 - O gabinete de gestão de crises está reunido neste momento. Na reunião estão presentes Carles Puigdemont, presidente da Catalunha, Ada Colau, presidente da Câmara de Barcelona, e Josep Luís Trapero, o responsável pela polícia da Catalunha. Às 21h00 locais, 20h00 em Lisboa, Carles Puigdemont fará uma declaração oficial.


19h40 -
Casa Real Espanhola já reagiu.




19h35 -  
Um dos autores do atentado morreu numa troca de tiros com a polícia, em Sant Just Desvern, revela o La Vanguardia. Segundo o El Mundo, este suspeito será o mesmo que atropelou três polícias na Avenida Diagonal. 


19h28 - Governo catalão confirma que há 13 mortos e pelo menos 50 feridos, 10 em estado grave.

19h22 - De acordo com o El Mundo, três polícias foram atropelados por um carro, modelo Ford Focus, que se recusou a parar num controlo na avenida Diagonal, em Barcelona. Ainda não se sabe se este atropelamento terá alguma ligação com o atentado terrorista em Las Ramblas.

19h18 -
Polícia nega que haja um barricado.


19h07 - O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, telefonou ao rei de Espanha para expressar a sua solidariedade. Saiba tudo aqui

18h57 - 
De acordo com a TVE, a polícia evacuou vários estabelecimentos comerciais nas Ramblas, onde diversas pessoas se refugiaram depois do atentado.

18h44 - Imprensa catalã avança que polícia estará neste preciso momento a negociar com um barricado suspeito de ter participado no atentado. Não se sabe se tem reféns ou não.

18h43 - Os media espanhóis adiantam que 56 pessoas foram já levadas para os hospitais.

Vídeo mostra a possível captura de um dos terroristas de Barcelona
18h40 - A associação Elite Taxi de Barcelona está a retirar gratuitamente as pessoas que estão retidas no centro de Barcelona.

18h39 - Cristiano Ronaldo demonstra solidariedade com espanhóis no Facebook. Veja aqui 

18h28 -
António Costa enviou uma mensagem a Mariano Rajoy transmitindo a solidariedade do Governo português depois do ataque em Barcelona. Além do primeiro-ministro português também outros governantes já enviaram as suas condolências. Veja aqui outras reações.

18h26 -
As autoridades espanholas instalaram controlos policiais em todas as entradas e saídas de Barcelona.

18h19 - 
Foi divulgada a imagem do homem que alugou a carrinha do atentado em Santa Perpetua de la Mogoda, a cerca de 20km de Barcelona. De acordo com o El Pais, Driss Oukabir já foi detido.

























18h15 - 
As autoridades pedem para as pessoas para não saírem de casa e avança que as "Festas del barrio de Gràcia" foram suspensas.

18h11 - A Polícia da Catalunha avança com 32 feridos, 10 em estado grave.

18h07
- O Centro de Barcelona está sem transportes públicos.

17h54 - Polícia confirma atentado terrorista e ativa dispositivo de alerta terrorista.


17h40 - A CIA avisou recentemente os Mossos d’Esquadra (polícia catalã) de que um atentado em Barcelona poderia acontecer a qualquer momento. A secreta norte-americana alertou mesmo a polícia autonómica da Catalunha que um atentado poderia ocorrer na movimentada zona das Ramblas, o que veio a acontecer na tarde desta quinta-feira.

17h30 - Caça ao homem em curso. Buscas policiais porta-a-porta.

17h22 - O condutor da carrinha estará barricado no restaurante turco, Rei de Istambul, localizado na parte alta das Ramblas e poderá ter feito reféns.

17h20 - Rádio espanhola cita polícia catalã e avança com 13 mortos e três dezenas de feridos, alguns com gravidade.

17h15 - A Polícia procura um homem com 1.70 de altura, que veste uma camisa branca com riscas azuis.


Carrinha tinha sido alugada
A imprensa catalã avança que a carrinha era alugada e que tinha um passaporte espanhol no seu interior. Há ainda informação que a polícia localizou em Vic uma segunda carrinha que pertenceria aos autores do atentado terrorista nas Ramblas que poderia servir para a fuga dos autores do ataque.

De acordo com o comunicado da polícia no Twitter, a zona está fechada assim como os transportes públicos.

Ainda não se sabe ao certo se há portugueses entre as vítimas.

CMTV retida em superfície comercial da zona
Jornalista da CMTV capta primeiras imagens do atentado em Barcelona















Uma jornalista da CMTV está retida numa superfície comercial da zona e relata os momentos de terror que está a viver no local.

"Um camião que se dirigia para a Praça da Catalunha, galgou uma zona pedonal e atropelou várias pessoas, consigo ver que várias estão caídas no chão", conta Ágata Rodrigues em direto do local.

As autoridades estão a pedir para que as pessoas se afastem do local. A jornalista da CMTV afirma que apesar da polícia garantir que está tudo controlado as pessoas estão muito nervosas.

Testemunhas no local
Uma testemunha que assistiu a tudo relatou à CMTV o que aconteceu.

"Íamos a conversar na Ramblas quando ouvimos gritos e vimos uma carrinha a vir. Escondemo-nos numa zona comercial e estamos aqui à espera", contou este português.


pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!