Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Amigo de Berlusconi cúmplice da máfia

Um dia depois de o primeiro-ministro Silvio Berlusconi ter sido absolvido, por prescrição do crime, de um delito de suborno de juízes, o seu aliado próximo e antigo gestor de empresas suas Marcelo Dell’Utri foi condenado a nove anos de prisão e inibição definitiva de exercício de cargos públicos por colaboração com a máfia.
12 de Dezembro de 2004 às 00:00
Dell’Utri é colaborador de Berlusconi desde os anos 70, primeiro nos negócios e agora na política
Dell’Utri é colaborador de Berlusconi desde os anos 70, primeiro nos negócios e agora na política FOTO: Alessadro di Meo/Epa
Um tribunal de Palermo, Sicília, fechou assim um processo que durou seis anos e uma deliberação prolongada por mais de 13 dias. No entanto, segundo alguns observadores, não é de crer que Dell’Utri venha a ser detido. Para já os seus advogados avançaram com um apelo da sentença do tribunal de primeira instância e, se o exemplo de Berlusconi for seguido, o crime do conselheiro do primeiro-ministro poderá prescrever antes de que possa ser efectivamente punido.
Numa primeira reacção à sentença, o antigo presidente da república italiana Francesco Cossiga considerou-a uma “condenação moral de Berlusconi”.
Saliente-se que a proximidade entre o primeiro-ministro e o senador do partido Forza Italia remonta a 1974, quando se fixou em Milão para trabalhar, primeiro, nos negócios de construção de Berlusconi e, depois, nas suas empresas de comunicação. Foi, aliás, durante vários anos, presidente e conselheiro delegado da Publitalia, e manteve ainda altos cargos no grupo Fininvest.
No sentido de separar as águas, o Ministério Público salientou, no entanto, que apesar da ligação próxima do senador Dell’Utri com Berlusconi, este não é um processo contra o primeiro-ministro ou o seu partido.
Ver comentários