Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Amina: a recém-nascida que sobreviveu após ser baleada duas vezes na perna em ataque a maternidade

Menina é um dos bebés que estava na maternidade afegã atacada no dia 12 de maio.
Correio da Manhã 21 de Maio de 2020 às 07:54
Bebé Amina
Bebé Amina
Bebé Amina
Bebé Amina
Bebé Amina
Bebé Amina

No passado dia 12 de maio um violento ataque armado a uma maternidade em Cabul, Afeganistão, matou 24 pessoas, entre as quais dois recém-nascidos. 

O ataque correu Mundo e foi classificado pela organização Médicos Sem Fronteiras como "doentio". Mas há histórias de sobrevivência que se destacam. 

Amina é uma dessas histórias. Quando o grupo armado que se acredita pertecer ao Daesh - apesar do ataque não ter sido reivindicado - entrou dentro da maternidade, a mãe de Amina tinha acabado de dar à luz. Esta mãe foi uma das vítimas mortais do ataque, mas Amina sobreviveu apesar de ter sido baleada duas vezes numa perna. 

O pai da menina, Rafiullah, revelou à BBC que ainda chegou a falar com a mulher e tentou tranquilizá-la dizendo que a troca de tiros que sem ouviam era fora do hospital.   

"Não queria que ela entrasse em pânico", assume Rafiullah. Quando chegou perto da mulher esta já estava morta. Durante o ataque, Amina foi salva. Com dois tiros numa perna, a recém-nascida foi levada de urgência para a cirurgia. 

O médico chegou ainda a questionar o pai da menina se poderia amputar a perna para garantir maior probabilidade de sobrevivência, mas Rafiullah não autorizou porque considerou que sem mãe a menina já teria um futuro suficientemente difícil. 

"Se ela não sobreviver, este será o nosso destino, mas, por favor, não faça a amputação", implorou. 

O médico aceitou e a cirurgia acabou por ter um final feliz. Amina manteve a perna e é expectável que consiga andar no futuro. 

Rafiullah Afeganistão Cabul Amina saúde questões sociais hospitais
Ver comentários