Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Anestesista infectou 276 com hepatite C

O anestesista Juan Maeso, acusado de contaminar 276 doentes com hepatite C em diferentes hospitais de Valência, Espanha, começou ontem a ser julgado depois de quase oito anos de investigação judicial, tendo a acusação pedido um total de 2214 anos de prisão.
13 de Setembro de 2005 às 00:00
Maeso nega consumir opiáceos
Maeso nega consumir opiáceos FOTO: Juan Carlos (Epa)
Os factos remontam ao período entre 1988 e 1998. O Ministério Público acusa Maeso de ser consumidor de estupefacientes, de se injectar com anestésico e de usar depois o mesmo material cirúrgico para anestesiar os doentes antes de serem operados. Entre os 276 infectados contam-se 17 menores. Na primeira sessão do seu julgamento, Maeso negou ter utilizado nos pacientes agulhas por si usadas, alegando que poderá ter feito o contrário. O arguido negou ainda ser consumidor de opiáceos e adiantou que terá contraído a infecção por contacto com o sangue contaminado de algum doente.
O Ministério Público pede oito anos por cada contágio, mais dois por cada uma das três mortes, o que perfaz 2214 anos de prisão, solicitando ainda uma indemnização global de 28,8 milhões de euros. Os advogados de Maeso consideram que as infecções se devem a um “fracasso do sistema epidemiológico da Comunidade Valenciana, que buscou um bode expiatório”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)