Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

ANGOLA PEDE NOBEL DA PAZ

O presidente angolano, José Eduardo dos Santos, defendeu ontem que o povo de Angola devia ser proposto e agraciado com o prémio Nobel da Paz, pelos sacrifícios consentidos na solução do conflito armado.
11 de Novembro de 2002 às 00:28
O chefe de Estado angolano fez esta declaração num comunicado ao país por ocasião do XXVII aniversário da proclamação da independência de Angola, que hoje se comemora.

Referindo-se às três décadas de guerra que custaram a vida a milhares de angolanos e a dispersão de centenas de milhar de outros, destruindo a base produtiva que asseguraria a sobrevivência e o conforto dos cidadãos, José Eduardo dos Santos afirmou que “Angola é maior que as adversidades e que a Pátria se realiza na união e no trabalho dos seus filhos, cada vez mais empenhados no firme compromisso para com a paz e a reconciliação nacional”.

O presidente lembrou ainda que a comunidade internacional tem sabido reconhecer os esforços do país, nomeadamente através da sua eleição para Membro não Permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas e da nomeação para a presidência da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Sublinhando todas as dificuldades ainda por superar e os novos desafios que Angola se propõe enfrentar, José Eduardo dos Santos disse que o povo do seu país devia ser “proposto e agraciado com o Prémio Nobel da Paz, em reconhecimento também da maturidade revelada no processo de Reconciliação Nacional, substracto de uma paz sólida e irreversível”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)