Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Anulada sentença de canibal

O Supremo Tribunal Federal da Alemanha anulou ontem a sentença de oito anos e meio de prisão para Armin Meiwes, um alemão de 43 anos conhecido como o ‘Canibal de Rotemburgo’, e ordenou a repetição do julgamento.
23 de Abril de 2005 às 00:00
Em Janeiro de 2004, Meiwes foi condenado por homicídio pelo Tribunal da Província de Kassel depois de confessar que tinha assassinado e comido parte do cadáver de um homem que tinha conhecido pela internet e que acedeu voluntariamente a servir as fantasias do canibal, que gravou tudo em vídeo.
Ao levantar a condenação, o Supremo Tribunal, com sede em Karlsruhe, aceitou o pedido de revisão do julgamento formulado pelo Ministério Público, que considera que Meiwes é culpado não de homicídio, mas de assassínio “por motivos levianos”. O julgamento vai ser repetido no Tribunal de Frankfurt por ordem do Supremo que, ao contrário do Tribunal de Kassel, não afasta a possibilidade de Meiwes ter assassinado a vítima para satisfazer os seus apetites sexuais.
Se o tribunal de Frankfurt condenar Meiwes por assassínio, a pena será de prisão perpétua. O caso do canibal, único na história criminal moderna alemã, ocorreu em Março de 2001 quando a vítima, um engenheiro de 43 anos, viajou de Berlim até à pequena localidade de Rotemburgo de Fulda, onde acabou por ser morto e comido parcialmente por Meiwes.
No decorrer do julgamento revelou-se que Meiwes tinha contactos com mais 204 potenciais vítimas através da internet.
O inédito processo colocou a justiça perante um dilema porque o crime de canibalismo, ou antropofagia, não está previsto no código penal alemão.
Ver comentários