Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Apelo retarda morte no Texas

Condenado por homicídio sem ter matado ninguém.
Francisco J. Gonçalves 21 de Agosto de 2016 às 01:45
Wood tinha a execução por injeção letal marcada para o próximo dia 24
Wood tinha a execução por injeção letal marcada para o próximo dia 24 FOTO: Direitos Reservados
O tribunal criminal de apelação do Texas suspendeu ontem a execução de um homem condenado à morte por homicídio apesar de não ter matado ninguém.

Jeffery Wood, de 43 anos, participou no assalto a uma loja de conveniência, em 1996, e foi considerado cúmplice na morte do empregado Kriss Keran, apesar de estar fora da loja quando o tiro fatal foi disparado.

O tribunal de recurso pediu agora a revisão da sentença, por considerar procedentes as alegações da defesa, segundo a qual a condenação se baseou em testemunhos falsos e em falsas provas científicas.

Parte da polémica prende-se com o testemunho do psiquiatra James Grigson, que disse em tribunal que Wood cometeria no futuro crimes violentos e era uma ameaça para a sociedade.

Grigson é conhecido como ‘Dr. Morte’ por testemunhar em casos de pena capital com base em diagnósticos feitos sem examinar os acusados.
Texas Jeffery Wood James Grigson Kriss Keran apelo morte EUA sentença condenação
Ver comentários