Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

APOIO A CHÁVEZ JUNTA UM MILHÃO DE PESSOAS NAS RUAS DE CARACAS

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, usou toda a sua capacidade de mobilização durante uma concentração de massas, em Caracas, para afastar os rumores de uma nova tentativa de golpe de Estado. Perante mais de 1 milhão de pessoas, o líder populista de esquerda logrou chamar a si um apoio massivo à gestão do país.
30 de Junho de 2002 às 20:58
No que denominaram de “segundo referendo aprovatório” do governo, apoiantes de Chávez demonstraram o seu repúdio por qualquer tentativa “inconstitucional” de deposição do líder venezuelano.

Segundo Chávez, as autoridades e o povo venezuelano estão mesmo empenhados em evitar actos de violência e uma possível guerra civil.

Por seu turno, o vice-presidente venezuelano, José Vicente Rangel, garante que as Forças Armadas estão “unidas” e que não existe qualquer possibilidade de novo golpe contra Chávez.

“Um segundo referendo provatório, o primeiro foi a 13 de Abril, quando o povo massivamente e com apoio militar derrotou o que foi a tentativa de romper a continuidade constitucional” - foi desta forma que Calixto Ortega, deputado do Movimento V República, se referiu ao apoio manifestado a Chávez.

Por seu lado, o ministro do Interior e Justiça, Diosdado Cabello, afirmou que “esta demonstração palpável, sem truques, tem que chamar à reflexão muita gente; que vejam este reflexo de um povo que o que quer é a paz”.

Saliente-se ainda que Chávez pediu perdão ao povo por ter chegado a pensar que “tudo estava perdido” na noite de 12 de Abril, quando foi afastado durante 48 horas da presidência do país.
Ver comentários