Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Apostou a vida dos pais e perdeu

A polícia do estado de Espírito Santo, no Brasil, prendeu dois jovens acusados de terem assassinado a sangue-frio três pessoas durante um jogo de RPG, sigla em inglês que pode ser traduzida como jogo de interpretação de personagens.
16 de Maio de 2005 às 00:00
Segundo a polícia, os acusados afirmaram que foi uma das vítimas, Tiago Guedes, estudante universitário de 21 anos, que apostou a sua vida e a dos pais para dar mais emoção ao jogo. Como perdeu, ele e os pais foram mortos com tiros na cabeça.
O triplo homicídio ocorreu na casa das vítimas, na Praia do Morro, região da cidade de Guarapari, no dia 26 de Abril, mas os corpos só foram encontrados, amarrados a camas, nove dias depois. Meidelson e Ronald, os dois acusados, contaram à polícia que tinham ido jogar RPG a casa do amigo, Tiago, estudante de física na Universidade Federal do Espírito Santo e que, para tornar o jogo mais excitante, todos apostaram as próprias vidas. Tiago, além da dele, terá apostado também a dos pais, o reformado Douglas Augusto Guedes e a corretora de imóveis Heloísa Helena Guedes.
Ainda segundo as primeiras informações, já depois da morte dos pais, que foram obrigados a tomar comprimidos para dormir antes de serem executados, Tiago e os dois assassinos confessos continuaram a jogar usando pertences dos mortos, até que o estudante perdeu novamente e foi morto também pelos supostos amigos.
O RPG (Role Playing Game) é um jogo presumivelmente inofensivo, usado muito em reuniões de família e de amigos, em que os participantes escolhem personagens e, com o auxílio de um narrador, criam tramas em que se encaixem esses personagens, levando-os o mais a sério possível.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)