Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

ARRISCOU A VIDA PELO PAÍS E É UM LUTADOR

Teresa Heinz Kerry, esposa do candidato democrata à presidência dos EUA, que ontem foi formalmente nomeado candidato à presidência, encerrou o segundo dia da Convenção Democrata, em Boston, com um elogio rasgado ao marido, um apelo à unidade interna e uma defesa firme dos direitos da mulher.
29 de Julho de 2004 às 00:00
“John é um lutador. Ganhou as medalhas à maneira antiga: pondo a vida em risco pelo seu país, e ninguém defenderá esta nação com maior firmeza e vigor do que ele”, afirmou Teresa, aludindo à participação heróica de Kerry na guerra do Vietname.
Pedindo aos mais de 4000 congressistas que se unam no apoio ao marido, Teresa defendeu ainda as mulheres de uma forma firme, designando-as como “sábias vozes que foram durante muito tempo excluídas e subestimadas”.
Recorrendo, como tantas vezes, ao seu passado de portuguesa nascida em Moçambique, onde reinava a ditadura, relevou a importância da liberdade. “É um dom sagrado, santificado pelos que a vivem e por quantos morreram a defendê-la”, afirmou.
As palavras da “candidata” a primeira-dama – que saudou várias comunidades nas suas línguas de origem, deixando para final o português continental e o brasileiro – fecharam com chave de ouro a noite dedicada a Kerry. Edward Kennedy, Ronald Reagan, filho do falecido presidente, ou Howard Dean, rival de Kerry nas primárias, uniram-se no coro de louvores ao candidato, que consideram capaz de renovar o partido e a democracia americana.
Mas, a par de Teresa, a figura que talvez tenha entusiasmo mais foi Barack Obama, candidato ao Senado. Encarado como estrela em ascensão, este filho de um queniano e de uma branca do Kansas é visto como trunfo capaz de seduzir a comunidade afro-americana.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)