Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

ATAQUE ISRAELITA EM GAZA

Helicópteros israelitas lançaram esta segunda-feira um ataque com mísseis contra dois automóveis em circulação na Cidade de Gaza, matando pelo menos uma pessoa e ferindo outras 25. De acordo com parentes, a vítima mortal é Khader al-Husari, importante membro das Brigadas Izz el-Deen al-Qassam, ‘braço armado’ da organização radical Hamas.
1 de Setembro de 2003 às 17:05
Estado em que ficou o automóvel onde seguia al-Husari
Estado em que ficou o automóvel onde seguia al-Husari FOTO: d.r.
O Hamas quebrou no passado dia 21 as tréguas com Israel, que decorriam há sete semanas, dois dias depois de um suicida palestiniano ter detonado uma bomba dentro de um autocarro, em Jerusalém, matando 21 pessoas. Israel reagiu intensificando as acções preventivas de eliminação selectiva de alvos palestinianos considerados perigosos para a segurança israelita. O governo de Israel defende esta política oficial de “eliminação selectiva”. Os palestinianos consideram tratar-se de puros assassinatos.
Mohammed Murad estava à porta da sua loja na Cidade de Gaza, quando os mísseis atingiram as duas viaturas que estavam a passar. “Três mísseis atingiram o Subaru branco. As pessoas que estavam dentro do carro ficaram em chamas. Um quarto míssil atingiu um segundo automóvel”, disse o comerciante, que ficou ferido no peito e nas costas. A vítima mortal que até à hora desta notícia era conhecida não foi identificada por fontes oficias palestinianas. Mas parentes garantiram tratar-se de al-Husari, membro do ‘braço armado’ do Hamas.
Este foi o sexto ataque israelita do género em duas semanas no território autónomo palestiniano da Faixa de Gaza. Destas acções resultou a morte de 11 militantes palestinianos e três civis inocentes. O ministro palestiniano Ghassan al-Khatib afirmou, hoje, que “a continuação da política israelita de assassinatos vai ser responsável pela deterioração” da situação.
POLÍCIAS REPREENDIDOS
Os factores que alimentam o ódio entre israelitas e palestinianos multiplicam-se em cada pormenor da vida social na região. Além da ‘eliminação selectiva’ de um homem do Hamas em Gaza, hoje foi também o dia do começo do ano lectivo palestiniano. Milhares de crianças encontraram barreiras militares israelitas nas estradas em que seguiam para se deslocar à escola. Muitas foram impedidas de passar, sendo obrigadas a longos desvios. Se pensarmos que um terço da população palestiniana é constituído por crianças em idade escolar é fácil imaginar a propagação do ódio.
Mas um outro facto alimentou também hoje este ódio secular. A Comissão Or concluiu o seu inquérito à morte de 13 árabes israelitas durante manifestações pró-palestinianas há três anos. O relatório final recomenda a demissão de alguns oficiais de polícia e a proibição a outros de exercerem cargos superiores. O problema é que o relatório nada disse sobre responsabilidade política, causando com essa omissão a fúria dos árabes israelitas .... e desimpedindo o caminho para o regresso à cena política de Ehud Barak, primeiro-ministro na altura dos incidentes.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)