Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Atleta sobre sexo nos Jogos: "Fizeram minha bunda valer uma medalha"

Brasileira Ingrid Oliveira diz ter sido arrasada por ter admitido sexo durante os jogos do Rio e denuncia o machismo.
27 de Fevereiro de 2019 às 18:49
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
A atleta olímpica brasileira Ingrid Oliveira
O escândalo rebentou em 2016, ainda decorriam os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Começou a constar que Ingrid Oliveira, atleta de saltos para a água tinha feito sexo na Aldeia Olímpica com o também atleta Pedro Henrique Gonçalves, brasileiro que faz canoagem slalom.

Pior, os rumores diziam que Ingrid expulsou a colega Giovanna Pedroso do apartamento para ter sexo, na véspera da prova de ambos na maior competição desportiva do planeta.

Mais de dois anos depois, a atleta vem a público defender-se. Diz que foi crucificada por ter feito sexo. Num depoimento ao canal UOL Esporte, abre o livro sobre o caso;:"A única verdade é que eu levei o Pedro para o meu quarto. Mas não foi na véspera da minha competição, nem da competição dele. Ele não passou a noite comigo. Eu não expulsei ninguém do quarto. Eu não fui expulsa da Olimpíada. Colocaram de uma forma que pareço uma desmiolada".

E conta o calvário por que passou logo durante os Jogos: "Em poucas horas, já tinha saído em todos os lugares do mundo. Alemanha, França, Portugal, Chile, Estados Unidos, Austrália. Meu Instagram passou de 90 mil para 250 mil seguidores. Um bando de gente me xingando, me xingando, me xingando. Eu ia apagando um comentário por um."

Mais revoltada ficou ao ver que os comentários colocados nas redes sociais de Pedro Gonçalves eram bem diferentes. "Entrava no Instagram do Pedro e não tinha xingamento. Era: "parabéns, você é o fodão". Saiu uma foto no jornal em que está a cara dele com uma medalha de ouro e a minha foto dentro. O pior comentário que eu via era 'sem foco'. Sem foco!? Nem um "vadio". Nem um "puto". Nada. As pessoas que tratam o homem como 'o garanhão' são as mesmas que chamam a mulher de vadia, de p*** Era ridículo."

Conta que Usain Bolt também levou mulher para o quarto
Em sua defsa, Ingrid traça um retrato colorido da aldeia olímpica:  "As pessoas não sabem, mas nas Olimpíadas isso é normal. Vocês devem ter visto o número de camisinhas que eles distribuíram na Vila. Tinha no refeitório e em todos os lugares. Era para quê? Para fazer balão e sair voando? O Bolt levou a menina sem credencial para o quarto. Um bando de gente fez Tinder para ficar se pegando. Acreditem, lá isso é uma coisa normal. A diferença é que outros casos não vazaram. E não havia acontecido com uma atleta mulher para que pudessem apontar o dedo".

Carreira destruída
Mas o efeito daquela noite não passou tão depressa: "Muitas coisas aconteceram depois das Olimpíadas. Eu passei a ser vista como a 'piriguete'. Marcas não quiseram fechar comigo. As pessoas tinham muito preconceito e me viam como 'a que faz m**** o tempo todo'. Conta que recebeu propostas para fazer filmes porno, constou que participava em orgias e choveram propostas para sexo pago.

Ingrid ficou assombrada com a proporção que o caso tomou: "É tudo tão louco que fizeram um levantamento e eu fiquei como uma das cinco atletas mais comentadas da Olimpíada no mundo inteiro. Eu, Simone Biles, Michael Phelps. Eu tenho mais seguidores que o Jack Laugher, que ganhou ouro na Olimpíada. Sabe por quê? Porque eu simplesmente transei. Eles fizeram minha bunda valer mais que uma medalha olímpica".

A atleta queixa-se que o episódio a fez perder a bolsa de alta competição. Mas, pior, é que se sente dimunída no seu estatuto de mulher: "Um problema que ainda enfrento é que até hoje o povo me coloca na posição de uma pessoa vulgar. Não me vê como atleta. Não me viam antes e muito menos depois da polémica da Olimpíada Como se eu tivesse escolhido esse papel. Nunca me perguntaram se eu queria ser a musa de alguma coisa. Eu não sou a "Musa do Pan". Eu não sou a "bonitona dos saltos". Sou a atleta Ingrid Oliveira".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)