Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Atraso do 'Brexit' já não pode ser evitado

Ainda que o acordo de saída da UE assinado por Theresa May seja aprovado no parlamento britânico a extensão é inevitável.
F.J.G. 18 de Março de 2019 às 08:08
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Theresa May
Ainda que o parlamento britânico aprovasse esta terça-feira o acordo de Brexit assinado pela primeira-ministra Theresa May com Bruxelas já não seria possível cumprir a data legal para a saída britânica da União Europeia (UE).

A garantia foi dada à BBC pelo ministro das Finanças britânico. Philip Hammond lembrou que é necessário aprovar legislação e que, devido às incertezas geradas ao longo de um processo conturbado, não estão criadas as estruturas necessárias para uma saída no próximo dia 29. Daí que seja sempre necessária "uma pequena extensão" do prazo do Brexit, mesmo que o acordo de May, chumbado já no parlamento por duas vezes, viesse a ser aprovado na terceira votação, marcada para amanhã.

Recorde-se que, após o segundo chumbo do acordo de Brexit, os deputados britânicos aprovaram planos para rejeitar uma saída da UE sem acordo, o chamado Brexit duro.

Aprovaram ainda, na quinta-feira, uma extensão do processo de ‘divórcio’. Esse adiamento poderá chegar a ser de dois anos, num caso extremo, embora isso necessite de aprovação posterior de Bruxelas e dos outros 27 membros da UE; ou pode ser um adiamento limitado, indo a extensão do Brexit somente até 30 de junho, mas, para isso, o acordo de May tem de ser aprovado amanhã, na terceira votação parlamentar.
Ver comentários