Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Avianca suspendeu voos para Caracas

Avião da companhia aérea foi "perseguido".
23 de Outubro de 2016 às 01:05
Governo de Caracas diz que perseguição se tratou de uma confunsão
Governo de Caracas diz que perseguição se tratou de uma confunsão FOTO: EPA
A companhia aérea colombiana Avianca, suspendeu no sábado todos os voos para Caracas e anunciou que todos os voos para a Europa vão ser "reorientados" para evitar em espaço aéreo venezuelano, depois da "perseguição" de um dos seus aviões.

O governo colombiano pediu explicações à Venezuela pela "perseguição", na sexta-feira, de um avião comercial da Avianca, que voava desde Madrid para Bogotá, quando passava por território venezuelano, com 248 passageiros a bordo.

Em resposta Caracas informou que se tratou de "uma lamentável confusão".

"(O sistema de) vigilância e alerta das Forças Armadas Colombianas (FAC) detetou em território venezuelano o avião de Avianca AVA011, que cobria a rota Madrid - Bogotá. De igual forma, o sistema detetou na mesma posição outra aeronave com similares condições de voo a curta distância do avião comercial", afirma um comunicado do Ministério da Defesa da Colômbia (MDC).

Segundo a imprensa colombiana, o Boeing 787 da Avianca terá sido "perseguido" por uma aeronave militar da Venezuela, situação que esteve "a ponto de ocasionar uma colisão".

Segundo as autoridades colombianas, na sequência de contínuas chamadas do Centro de Comando e Controlo das FAC, o Comando da Defesa Aeroespacial Integral da Venezuela respondeu que se tratava de uma "aeronave militar venezuelana em missão de navegação".

Na Venezuela, o dirigente do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, no Governo) Diosdado Cabello, explicou durante uma conferência de imprensa que "se tratou de uma lamentável confusão".

"Com certeza isso se resolverá nas próximas horas (...) não foi algo planeado contra a Avianca, em nenhuma circunstância", frisou.

Segundo Diosdado Cabello, a ministra de relações exteriores da Colômbia, Maria Ângela Holguín e a sua homóloga venezuelana, conversaram sobre o assunto e o Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, ordenou que o caso fosse investigado.
Avianca perseguição aeronave Venezuela suspensão voos
Ver comentários