Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Avô salva os sete netos de cenário de guerra na Síria

Depois dos pais das crianças se juntarem ao Daesh os meninos ficaram a viver num acampamento de refugiados.
16 de Maio de 2019 às 19:37
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Patricio partiu para a Síria para salvar os netos de um acampamento de refugiados em território do Daesh
Um avô resgatou os sete netos de um campo de refugiados na Síria. Patricio Galvèz, que vive na Suécia, conseguiu juntar os apoios necessários para a viagem e foi salvar as crianças de um cenário de guerra. 

Com a mala cheia de roupa de criança e com uma mochila às costas, com apenas algumas camisas suas, Patricio partiu para a Síria garantido que apenas voltava para casa com os netos nos braços. Os sete irmãos, com idades compreendidas entre o um e os oito anos, tinham sido levados para territórios ocupados pelo Daesh depois dos pais se terem filiado ao grupo extremista. 

Toda a viagem de Patricio foi acompanhada por um jornalista que partilhou nas redes sociais a história deste avô e destas crianças a quem a infância lhes foi roubada pelos pais.

A espera durou cerca de um mês, até que toda a documentação necessária para as crianças viajarem estivesse tratada, mas terminou num final feliz. 

De volta a casa Patricio utilizou as redes sociais para agradecer a ajuda de todos aqueles que contribuíram para que o músico pudesse chegar até aos netos. 

"Os meus netos estão todos super bem e felizes por estar de volta a casa. Agora só me resta desejar e trabalhar pela liberdade e repatriamento de todas as outras crianças retidas na Síria", termina.



Suécia Síria Patricio Galvèz Daesh questões sociais política
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)