Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Banho de sangue em carga policial

Violentos confrontos entre a polícia e indígenas contrários a decretos do presidente do Peru, Alan García, que facilitam a exploração de riquezas naturais por empresas estrangeiras, deixaram pelo menos 34 mortos no interior da floresta amazónica peruana. Os indígenas acusam o governo de genocídio e a polícia de ter abatido pessoas a sangue-frio, disparando de helicópteros.
7 de Junho de 2009 às 00:30
Revolta dos indígenas no Peru
Revolta dos indígenas no Peru FOTO: Reuters

Os confrontos ocorreram sexta-feira, num local conhecido como Curva do Diabo, na região de Bagua, a 710 km da capital do país, Lima. Indígenas bloqueavam uma estrada, em mais um protesto contra as medidas de García, que acusam de entregar a exploração das inúmeras riquezas naturais da floresta amazónica peruana (a maior porção da Amazónia fora do Brasil) a empresas estrangeiras, nomeadamente dos EUA, cujos governos exerceram pressões nesse sentido.

A ministra do Interior, Mercedes Cabanillas, negou que as forças de segurança tenham disparado de helicópteros sobre os manifestantes, e garante que estes receberam a polícia a tiro e forçaram o confronto. O presidente Alan García afirmou que a polícia usou a força necessária para repor a ordem.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)