Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Batasuna ameaça

O Estado democrático é muito forte e está muito preparado para este combate [terrorismo/ETA].” Foi com esta advertência que o chefe do governo espanhol abriu a sua intervenção perante o Senado, a primeira após o atentado da ETA contra o guarda-costas de um autarca em Bilbau.
11 de Outubro de 2007 às 00:00
Membros do governo basco prestaram ontem homenagem às vítimas da ETA
Membros do governo basco prestaram ontem homenagem às vítimas da ETA FOTO: David Aguilar / Epa
Em resposta, Pernando Barrena, porta-voz do Batasuna, repetiu as ameaças: “É de prever uma etapa especialmente dura até às eleições de Março.”
Num discurso particularmente duro, com claros recados à ETA e ao Batasuna, José Rodríguez Zapatero prometeu combater com toda a firmeza qualquer acto de violência e usar todos os meios para prevenir atentados e perseguir os seus autores e apelou ainda à unidade de todos os partidos. “É muito conveniente a unidade dos democratas e o máximo de consenso na defesa dos valores do Estado de Direito para alcançar o objectivo comum a todos os democratas: ver o fim da violência, derrotar o terror, a ameaça e a coacção.”
Barrena devolveu o tom duro a Zapatero. Afirmou ter sérias dúvidas de que “este seja uma democracia ou um Estado de direito” e salientou não haver muito espaço para a procura do diálogo que, segundo ele, terminou por culpa do governo.
O atentado em Bilbau contra Gabriel Giner Colás, guarda-costas de Juan Carlos Domingo, número dois da localidade de Galdácano, é visto como uma resposta à prisão de membros da cúpula do Batasuna na passada quinta-feira. O governo fez questão de passar a mensagem do falhanço da ETA, já que dos sete ataques que perpetrou desde que rompeu o cessar-fogo seis falharam.
Refira-se que o atentado em Bilbau foi condenado pelos principais partidos espanhóis e também pelo rei Juan Carlos. O guarda-costas Gabriel Colás continua em estado grave, mas estável. Segundo o boletim médico ontem divulgado, a situação evolui favoravelmente “dentro da gravidade”.
SENTENÇA DO 11-M NO DIA 31
A sentença dos 28 alegados responsáveis pelos atentados de 11 de Março de 2004 em Madrid (11-M) será conhecida a 31 de Outubro numa leitura pública, que se espera bastante extensa, na mesma Casa do Campo onde decorreu o julgamento. A Audiência Nacional notificou todas as partes envolvidas no maior processo da Justiça espanhola e o maior do Mundo no que respeita ao terrorismo.
O megajulgamento começou em Madrid a 15 de Fevereiro e terminou a 2 de Julho. Ao longo de quatro meses e 17 dias o tribunal ouviu um total de 309 pessoas. Dos 29 arguidos – 19 em prisão preventiva e dez em liberdade condicional – um já foi ilibado. Além de determinar as eventuais penas que cumprirão os condenados, a sentença deverá indicar ainda indemnizações que as vítimas dos atentados deverão receber. As acusações pediram indemnizações de um milhão de euros para os familiares de cada um dos 191 mortos.
SAIBA MAIS
- 23 membros da cúpula do Batasuna foram detidos a 4 de Outubro por ordem do juiz Baltasar Garzón. Seis deles foram libertados.
- 2003 foi o ano em que o Supremo Tribunal espanhol considerou que o Batasuna era um instrumento da ETA e por isso incompatível com o exercício da política.
OTEGI
O Batasuna é um partido ilegalizado liderado por Arnaldo Otegi e tem como objectivo prioritário a criação de um estado socialista após conseguir a autodeterminação e posteriormente a independência.
PARTIDO
O Partido Comunista das Terras Bascas (PCTV) é como uma extensão do ilegalizado Batasuna, segundo as autoridades espanholas. A polícia tem provas de que o PCTV fez pagamentos a cerca de dez dirigentes do Batasuna.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)