Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Bispo demitido por criticar ministro

O porta-voz oficial do Vaticano acusou o governo da Argentina de violar os princípios da liberdade religiosa ao ter demitido o bispo capelão do Exército por este ter sugerido que o ministro da Saúde deveria ser largado no mar com um peso atado ao pescoço devido aos seus pontos de vista pró-aborto.
19 de Março de 2005 às 13:54
O presidente argentino, Nestor Kirchner, demitiu o bispo Antonio Baseotto do cargo de capelão do Exército depois de este ter sugerido que o ministro da Saúde deveria ser afogado.
Mesmo antes de receber a confirmação oficial desta decisão, o Vaticano, através do seu porta-voz oficial, Joaquin Navarro-Valls, condenou a decisão do presidente argentino e comentou que esta indicia uma violação dos princípios de liberdade religiosa, dado que o sacerdote é nomeado pela Santa Sé para o exercício do seu ministério pastoral.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)