Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Bissau: Autoridades prometem declaração

As autoridades da Guiné-Bissau prometem uma declaração sobre os acontecimentos desta segunda-feira que envolveram militares. A população evitou circular nas ruas, mas há uma aparente acalmia, depois do tiroteio da manhã.
26 de Dezembro de 2011 às 15:24
Militares da Guiné-Bissau em 2010
Militares da Guiné-Bissau em 2010 FOTO: Lusa

Em frente ao quartel-general, na fortaleza d'Amura, há um perímetro  de segurança com os soldados, fortemente armados, que não deixam passar  os carros.    

A mesma movimentação vê-se nas zonas dos quartéis da Força Aérea e regimento  dos Paracomandos (corpo de elite), junto ao aeroporto internacional de Bissau.   Fontes militares indicaram à Agência Lusa que o general António Indjai,  que terá sido dado como detido pelos militares amotinados, estaria no quartel  dos Paracomandos, de onde estaria a controlar a situação.   

António Indjai mandou dizer, através de um porta-voz, que falava ao  país "logo que seja possível" para explicar o que se está a passar.   A mesma fonte militar, contactada pela Lusa, disse que António Indjai  convocou "todos os oficiais" para uma reunião de emergência no regimento  dos Paracomandos.  

 

Guiné-Bissau Tensão Militares António Indjai
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)