Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Bolsa de Milão afunda mais de 4% com norte de Itália semi-paralisado devido ao coronavírus

Adoção de medidas extraordinárias para tentar travar a epidemia deixou várias regiões italianas isoladas.
Lusa 24 de Fevereiro de 2020 às 11:57
Bolsa
Bolsa FOTO: Pedro Catarino
A bolsa de Milão estava esta segunda-feira a afundar-se mais de 4% pouco depois da abertura, na sequência do surto do coronavírus no norte de Itália, que até ao momento já provocou 185 infetados e quatro mortos.

Pouco depois da abertura, o principal índice da bolsa de Milão, o Ftse Mib, recuava 4,10%, enquanto o índice geral, All Share, descia 3,56%.

Na sequência do surto do Covid-19 também está a ser significativa a subida dos juros da dívida de Itália, que hoje abriram a 0,992% a 10 anos, contra 0,909% na sexta-feira.

Várias ações viram a sua negociação suspensa por excesso de desvalorização, como as da Amplifon, Pirelli, Ferragamo, Fineco e Saipem.

Também se registaram fortes quedas entre os 'papéis' da banca, como os da Unicredit, (-4%) e da Intesa Sanpaolo (-4,6%).

Além dos receios da propagação do coronavírus, o norte de Itália, motor económico do país, está semi-paralisado devido à adoção de medidas extraordinárias para pelo menos esta semana para tentar travar a epidemia.

Nas regiões italianas de Piemonte, Lombardia e Véneto foram tomadas medidas extraordinárias, como a suspensão de festas, eventos como o carnaval de Veneza, manifestações culturais e desportivas e fechados museus, escolas e universidades.

O número de mortos devido ao coronavírus Covid-19 subiu hoje para 2.592 na China continental, contabilizando ainda mais de 75 mil infetados, quase todos na província de Hubei.

Há também vítimas mortais no Irão, Japão, Hong Kong, Coreia do Sul, Filipinas, França, Estados Unidos e Taiwan.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)