Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Bolsonaro diz que tem "informações" sobre "existência de fraude eleitoral" nos EUA

Presidente do Brasil vai esperar mais algum tempo para congratular Joe Biden pela sua vitória nas presidenciais.
SÁBADO 30 de Novembro de 2020 às 08:51
O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, já admitiu ser um fã de Donald Trump. E este domingo estendeu as mãos sobre o fogo pelo presidente norte-americano, afirmando que vai esperar mais algum tempo até congratular Joe Biden pela sua vitória nos Estados Unidos por saber que "houve muita fraude" nas presidenciais norte-americanas.

"A imprensa não o divulga, mas eu tenho as minhas informações, e não serve de nada dizer-vos porque não as vão publicar, realmente houve muitas fraudes", declarou Bolsonaro aos jornalistas, acrescentando ainda que não sabia se estas alegadas fraudes "foram suficientes para definir a vitória de um ou de outro".

Estas declarações foram prestadas no mesmo dia em que terminavam as recontagens no estado do Winsconsin que cimentou ainda mais a vitória de Joe Biden sobre Donald Trump, tendo conseguido mais votos do que na primeira contagem.

Nas declarações aos jornalistas, Bolsonaro também expressou dúvidas sobre a votação eletrónica no Brasil, sugerindo que é vulnerável à fraude, e defendeu que o país devia voltar ao sistema das urnas nas presidenciais de 2022. O Brasil utiliza um sistema de votação em urnas eletrónicas desde 1996. Durante a madrugada, o presidente do Superior Tribunal Eleitoral garantiu que não houve nenhum ataque cibernético bem-sucedido contra o sistema eleitoral do país, depois das declarações do presidente. 

"O Presidente da República merece todo o respeito institucional e tem direito a manifestar sua opinião. Portanto, respeito a compreensão dele. A verdade, porém, é que, objetivamente, o STF já decidiu pela inconstitucionalidade do voto impresso", frisou Luís Roberto Barroso.

No domingo, o Brasil realizou a segunda volta das eleições municipais em 57 cidades com mais de 200 mil eleitores, incluindo capitais regionais importantes como São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre.

Segundo Barroso, as eleições levaram às urnas mais de 26 milhões brasileiros de um total de mais de 38 milhões aptos a votar, numa eleição que terminou sem incidentes graves.

O presidente do TSE lembrou, porém, que na primeira volta das municipais, disputada em 15 de novembro, aconteceram problemas no sistema informático do tribunal, que também foi alvo de ataques cibernéticos.

"Na primeira volta comprovadamente nós sofremos diversos ataques. Na verdade, um ataque com um vazamento de informações irrelevantes sobre funcionários do TSE e uma tentativa de derrube do sistema com mais de 436 mil acessos por segundo, que é um esforço que se chama ataque de negação de serviço", afirmou Barroso.

Os ataques cibernéticos deram origem a uma investigação da polícia brasileira em parceria com a polícia portuguesa na sequência da alegada participação do hacker português Zambrius. O pirata informático assumiu o ataque em entrevista aos media brasileiros e foi detido no sábado em Portugal.

Jair Bolsonaro Estados Unidos EUA Donald Trump Joe Biden Brasil Luís Roberto Barroso política eleições
Ver comentários