Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Bolsonaro mantém cargo a Ministro do Turismo suspeito de crimes de corrupção

Marcelo Álvaro António é acusado de nas eleições de outubro de 2018 ter forjado diversas candidaturas.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 4 de Outubro de 2019 às 18:53
Bolsonaro
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Bolsonaro
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil
Bolsonaro
Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil

A Polícia Federal brasileira incriminou o ministro do Turismo do país, Marcelo Álvaro António, por crimes eleitorais e formação de organização criminosa. O ministro, que é do Partido Social Liberal, PSL, o mesmo do presidente Jair Bolsonaro, é há meses suspeito de corrupção e irregularidades eleitorais, mas é a primeira vez em que passa à condição de incriminado.

Marcelo Álvaro António e outras 10 pessoas, igualmente incriminadas agora neste processo, é acusado pela Polícia Federal de nas eleições de outubro do ano passado ter forjado diversas candidaturas inexistentes para desviar as avultadas verbas atribuídas pelo Fundo Eleitoral a essas supostas candidatas.

Ele era na altura presidente do PSL no estado de Minas Gerais, onde os crimes desta ação foram constatados, e, sempre segundo a investigação, o hoje ministro inventou candidaturas, na sua maioria femininas, não para tentar eleger as candidatas mas sim para ficar com o dinheiro das campanhas.

Desde que surgiram as primeiras denúncias contra ele, o ministro sempre negou, acusando quem o denuncia de o estar a perseguir politicamente para o atingir e ao governo. No entanto, várias candidatas a deputada que ele inscreveu na campanha e a quem foram atribuídas avultadas verbas já confirmaram à polícia que nunca fizeram campanha e que foram obrigadas pelo ministro ou por assessores dele a devolverem a maior parte da verba eleitoral, sendo autorizadas a ficar com uma pequena parte como "pagamento" pelo uso do seu nome.

Apesar de tantas denúncias contra o ministro, o presidente Jair Bolsonaro, que teve como uma das principais bandeiras da sua campanha eleitoral o combate à corrupção, sempre recusou demitir o aliado. Esta sexta-feira, mais uma vez, e apesar de Marcelo Álvaro António ter sido incriminado, Bolsonaro reafirmou através do porta-voz presidencial, general Octávio do Rego Barros, que o ministro continua a ter a confiança dele e fica no cargo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)